Vida FM Asa Branca Salgueiro FM Salgueiro FM

INSS estuda recadastramento com prova de vida para evitar pagamento a beneficiários mortos

O governo estuda a possibilidade de exigir recadastramento com prova de vida para beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para evitar a continuidade de pagamento a pessoas que já morreram.

De acordo com o Ministério da Previdência, a confirmação cadastral anual com prova de vida já será exigida para as aposentadorias e pensões concedidas a partir de janeiro de 2010 e “uma solução semelhante está sendo negociada para os benefícios atuais”, de acordo com nota divulgada nesta sexta-feira (27).

Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) apontou prejuízo estimado em R$ 2,3 bilhões por causa de pagamento a beneficiários mortos. Segundo o TCU, a falha ocorre principalmente por falta de fiscalização dos cartórios pelo INSS. Os cartórios têm obrigação legal de repassar mensalmente informações sobre óbitos à Previdência.

Fonte: Agência Brasil

Um comentário sobre “INSS estuda recadastramento com prova de vida para evitar pagamento a beneficiários mortos

  1. Eduardo

    Sr:Alvinho Patriota.

    Esqueceram dos benefícios sacados por outras pessoas(familiares ou não)por comodidade do beneficiário, que na maioria das vezes, de idade avançada, não têm mais ânimo/saúde para se deslocar até a agência bancaria ou ao posto do INSS.

    Está mais do que na hora da Previdência se conscientisar de método à prova de burros, caso contrário continuaremos com desvios dessa natureza, infelizmente.

    Não queiram levar o aposentado idoso novamente para a agência, como fez ilustre ministro recentemente, lembra dele ???

    O outro artigo de titulo :”Previdência no país é das mais generosas” não pode e não deve ser comparada com aposentadorias fora do Brasil; aqui paga-se de 8.0% a 11% sobre o rendimento, para posteriormente recebermos uma ninharia, que a cada mexida de ministro, associado aos ministros da fazenda e do banco central, diminuem ainda mais o valor, que está nos levando a todos para o salário mínimo, independente de quanto foi a sua contribuição.

    O que precisamos, é desvincular a arrecadação da Previdência da CONTA ÙNICA DA UNIÂO mantendo-a somente para os aposentados e, não para fazer caixa do governo para parecer “bonitinho” lá fora !?!?.

    Temos um PIB superior a 3 TRILHÕES de reais, então porque juntar a arrecadação da Previdência com outras contas ?????????

    Fora do Brasil, as contribuições variam de 35% a 40%, não se limitando somente à previdência mas, sim a alimentação, saúde, educação e lazer; coisa que no Brasil, nem pensar, benefícios esses somente para os congressistas; repare o semblante desse pessoal quando entrevistados por emissoras de TV ?

    Eduardo