Vida FM Asa Branca Salgueiro FM Salgueiro FM

Centrais criticam ministro sobre aposentadorias

aposentados1O comentário de José Pimentel, ministro da Previdência, sobre o aumento das aposentadorias causou estranheza aos representantes das maiores centrais sindicais do Brasil, Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Força Sindical. Nessa quarta-feira (9) pela manhã Pimentel furou as negociações entre centrais e governo e afirmou que os aposentados que recebem benefícios superiores a um salário mínimo – 8.323.298 aposentados – teriam aumento real em 2010.

O ministro não falou qual será o porcentual, mas deu a entender que o índice estaria atrelado aos R$ 3 bilhões adicionais que serão incluídos no orçamento do Fundo do Regime Geral de Previdência Social, conforme acerto com o relator da lei orçamentária, o deputado federal Geraldo Magela (PT-DF). Se o ministério tiver de usar os R$ 3 bilhões para pagar o aumento real dos benefícios, o índice de correção seria de 2,5%, ou seja metade do Produto Interno Bruto (PIB) do ano passado. Segundo cálculo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o desembolso seria de exatos R$ 3,3 bilhões.

O que as centrais pedem é que as aposentadorias sejam corrigidas pela inflação do ano (3,9%) mais 80% do PIB de 2008. A proposta foi formalizada recentemente pelas centrais e entregue ao governo. Nesse caso, o aumento real significa um gasto adicional de cerca de R$ 4 bilhões, quase R$ 1 bilhão a mais do que o Ministério da Previdência espera desembolsar. Segundo Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical, “o número do (ministro) Pimentel será rejeitado pelas centrais”. “O índice só vai valer mesmo quando o presidente Lula anunciar. Ele disse, numa reunião com as centrais, que poderia dar acima dos 50% do PIB”, explica.

Fonte: Agência Estado

Um comentário sobre “Centrais criticam ministro sobre aposentadorias

  1. GERALVINHO PATRIOTA

    É TRISTE MAIS É VERDADE.DESDE O GOVERNO DE FHC, OS APOSENTADOS QUE PERCEBEM MAIS QUE UM SALÁRIO MÍNIMO VÊM TENDO PERDAS A CADA ANO.POR OUTRO LADO, OS QUE SE APOSENTARAM A PARTIR DE 1999, SE LASCARAM COM O FATOR PREVIDENCIÁRIO. A PERDA NA RMI CHEGA A MAIS DE 40%, DEPENDENDO DA IDADE DO APOSENTANDO. AGORA, AO SE VER PERDIDO, O GOVERNO A FIM DE BARGANHAR MODIFICAÇÃO NO FAMIGERADO FATOR, AO INVÉS DA SUA QUEDA, OFERECE REAJUSTE DE 2,50% ACIMA DA INFLAÇÃO, ENQUANTO AS CENTRAIS SE CONFORMAM COM APENAS 80% DO PIB, MAIS INFLAÇÃO DO ANO, O QUE EQUIVALE A APROXIMADAMENTE 3% DE GAMNHO REAL.

    REALMENTE É TRISTE, POIS,PARECE ATÉ QUE, NEM O GOVERO NEM AS CENTRAIS SINDICAIS ENTENDEM DE MATEMÁTICA, OU NÃO SABEM QUE DOS MAIS DE 8 MILHÕES DE APOSENTADOS E PENSIONISTAS QUE PERCEBEM MAIS QUE O SALÁRIO MÍNIMO, DE 1999 PARA CÁ, JÁ PERDERAM APROXIMADAMENTE A METADE DO GANHO REAL, TOMANDO-SE POR BASE O MÍNIMO. PORTANTO, PARABÉNS AOS ASSALARIADOS, INCLUSIVE OS MILHARES QUE SE APOSENTARAM COM ATÉ 1,8 SALÁRIOS MÍNIMOS E HOJE, SÓ RECEBEM UM SALÁRIO, ÓBVIO, KKKK…