Vida FM Asa Branca Salgueiro FM Salgueiro FM

Poeta e repentista Sebastião Dias, ex-prefeito de Tabira, morre aos 73 anos

O poeta e repentista Sebastião Dias, ex-prefeito de Tabira, município do Sertão do Pajeú, morreu aos 73 anos nesse domingo, 3. Ele tinha sofrido um infarto no dia 25 de novembro, durante uma cantoria em Icó-CE, e estava internado num hospital de Barbalha-CE desde então. A morte foi anunciada pelo filho de Sebastião, Zé Ivan Dias, nas redes sociais.

“Com enorme tristeza, comunicamos o falecimento do nosso poeta Sebastião Dias, ocorrido às 13 horas, no Hospital do Coração do Cariri, na cidade de Barbalha. Na manhã deste domingo o quadro evoluiu para uma pneumonia e por volta das 12h30 sofreu uma parada cardíaca. A equipe médica fez todas as manobras possíveis para reanimá-lo, às 13 horas o poeta nos deixou”, comunicou.

O velório acontece nesta segunda-feira, 4, em três locais de Tabira: no Centro Lítero-cultural Poeta Zé de Mariano, das 00h às 13h; na Câmara de Vereadores, das 13h às 15h; e na sede da prefeitura, das 15h às 16h. O sepultamento será realizado no Cemitério Parque da Saudade, às 16h.

Em homenagem e sinal de respeito, a prefeitura do município decretou ponto facultativo hoje e luto oficial de três dias.

Da redação do Blog Alvinho Patriota

2 comentários sobre “Poeta e repentista Sebastião Dias, ex-prefeito de Tabira, morre aos 73 anos

  1. Dinaldo Sales

    Sebastião foi um poeta/
    E um político perfeito/
    Foi vereador eleito/
    Prefeito na hora certa/
    Sua palavra direta/
    Tinha grande aceitação/
    Sempre com os pés no chão/
    Deixou a história marcada/
    MAIS UMA ESTRELA APAGADA/
    DA NOSSA CONSTELAÇÃO

    Mote: Severino de Souza
    Glosa: Dinaldo Sales – Alagoas

  2. Amiraldo Patriota

    A MORTE DE UM POETA.
    (Dedicado aos poetas mortos)
    ***
    Quando um poeta morre
    A poesia entristece
    Na voz que emudece
    Do artista que dorme
    Qual rio que água corre
    A sua arte vai percorrer
    E pelo mundo enriquecer
    O teor da literatura
    Pra não deixar ver a cultura
    Da poesia morrer

    A sua alma poética
    Continuará perpetuando
    E a poesia vai rimando
    Por quem a interpreta
    E a história por certa
    Ganhou nesses dias
    Um autor que fazia
    Essa arte completa
    Morre um poeta
    Mais não morre a poesia.

    .Amiraldo Patriota