Após dois anos sem partido, Bolsonaro se filia ao PL, nona legenda da carreira política

O presidente Jair Bolsonaro se filiou na manhã desta terça-feira (30) ao Partido Liberal. A cerimônia de filiação aconteceu na sede do partido em Brasília e contou com a presença do presidente da sigla, Valdemar Costa Neto, e de integrantes do governo.

Bolsonaro foi eleito presidente pelo PSL em 2018 e deixou o partido em 2019, em meio a divergências com a cúpula da legenda. Na ocasião, chegou a articular a criação de um novo partido, a Aliança Pelo Brasil, que não passou da fase de coleta de assinaturas.

O PL será o nono partido da carreira política de Bolsonaro. Em três décadas, o atual presidente passou por PDC, PPR, PPB, PTB, PFL, PP, PSC e PSL.

Além do presidente, se filiaram ao PL o senador Flávio Bolsonaro, que deixou o Patriota, e o ministro da Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

No discurso, Bolsonaro fez acenos aos parlamentares do PL e de outros partidos que tinham representantes presentes no evento.

Tanto o PL como as outras siglas citadas por Bolsonaro fazem parte do chamado Centrão, uma bancada informal no Congresso que abriga siglas de centro-direita e com a qual o governo se aliou desde o ano passado, em busca de uma base de sustentação na Câmara e no Senado.

“Estou me sentindo aqui em casa, dentro do Congresso Nacional, aquele plenário da Câmara, tendo em vista a quantidade de parlamentares aqui presentes. Me trazem lembranças agradáveis, lembranças de luta, acima de tudo, momentos em que nós, juntos, fizemos pelo nosso país. Eu venho do meio de vocês. Venho de 28 anos na Câmara”, afirmou o presidente.

Segundo Bolsonaro, “não foi fácil” optar pelo PL porque, segundo ele, houve propostas para entrar em outros partidos com o quais também diz ter afinidade.

“Eu vim do PP. E confesso, prezado Valdemar, a decisão não foi fácil. Até mesmo o Marcos Pereira [presidente do Republicanos], conversei muito com ele e com outros parlamentares”, completou Bolsonaro.

“Pode ter certeza que nenhum partido será esquecido por nós”, frisou.

Oficialmente, a pré-candidatura de Bolsonaro ainda não foi lançada. Ele fez questão de ressaltar que o evento desta terça era exclusivamente um ato de filiação.

“Não estamos aqui lançando ninguém a cargo nenhum. Um evento simples, mas de muita importância, a filiação, que é a passagem para que possamos pleitear algo lá na frente”, concluiu o presidente.

Fonte: G1

Um comentário sobre “Após dois anos sem partido, Bolsonaro se filia ao PL, nona legenda da carreira política

  1. DAMIÃO SÁ

    QUEM FAZ O MAIOR E MENOS RUIM PARTIDO POLÍTICO É O CONSCIENTE E IMPARCIAL ELEITOR, SOMENTE ELE TEM O PODER DE ESCOLHER O CANDIDATO MENOS RUIM PARA A NAÇÃO BRASILEIRA, DE UMA COISA TENHO MUITA CERTEZA A GRANDE MAIORIA DOS POLÍTICOS SÓ ENXERGAM O PRÓPRIO UMBIGO.

    O ELEITORADO É QUEM TEM QUE DITAR AS ORDENS SABENDO COM INTELIGÊNCIA, IMPESSOALIDADE E IMPARCIALIDADE ELEGER O CANDIDATO MENOS RUIM, PARA NOS REPRESENTAR,.

    SE O ELEITORADO QUER SABER QUEM MELHOR POSSA NOS REPRESENTA, BASTA ASSISTIR AS TV CÂMARA, TV SENADO E AS REPORTAGENS DE OUTRAS EMISSORAS OU VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO SÉRIOS; NÃO NOS ILUDAMOS COM FALSAS PROMESSAS NEM VENDAMOS NOSSOS VOTOS, NOSSOS VOTOS SÃO AS NOSSAS MAIORES E MELHORES ARMAS QUE POSSUÍMOS PATA DERRUBAR OS MAUS POLÍTICOS. .

    PROCUREMOS VOTAR EM ALGUÉM QUE SE IMPORTE COM A NOSSA TERRA., NÃO APAREÇAM APENAS PARA GARIMPAR VOTOS E COM ISTO GANHAR GORDOS SALÁRIOS