Vida FM Salgueiro FM

Ponto de Vista: Deveres e compromissos do estado x candidatos

No que nos diz respeito como candidatos, os compromissos assumidos coletivamente vamos honrar e se não puder, avisamos com antecedência.

Todavia, individualmente as ações que cabem ao poder público, não assumimos pessoalmente e sim, lutaremos para que as instituições cumpram com o seu papel.

Precisamos mudar a face da trajetória política que vem há muito tempo na contramão da história, com a verdade, sem medo. Não podemos está perdendo companheiros e companheiras, quando nos procuram para “resolver” casos isolados, muito dos quais, ou seja, a grande maioria, como dissemos, de obrigação das instituições. Precisamos combater o errado com o certo, com a verdade. 

Algumas pessoas nessa caminhada, quando não receberam o intento, se afastaram. Lamentamos perder companheiros e companheiras, contudo, àqueles e àquelas que se afastam diante da primeira dificuldade, pedimos desculpas, mas nosso compromisso é mútuo, ou seja, coletivo, e com todo respeito não é compreensível aos fatos que nos são admissíveis e do que é de competência do Estado. Nós, porém, temos o dever de resgatar toda essa gente para nossa luta e jamais desprezar um irmão/irmã.

Por Alvinho Patriota

Um comentário sobre “Ponto de Vista: Deveres e compromissos do estado x candidatos

  1. Machado Freire

    O que temos, na realidade, é uma sociedade que ainda não conseguiu se livrar dos vícios e crimes eleitorais praticados desde os tempos da ditadura, do imperialismo e, por último da época pós-ditadura quando a Aliança Renovadora Nacional – Arena, como partido oficial do governo ditatorial era o dono de tudo.

    Mas tínhamos também o coronelismo, igualmente apoiado e amparado pelo governo perverso filho da ditadura..

    Os bancos oficiais, como Banco do Nordeste, Bandepe, Sudene e Banco do Brasil existiam para servir aos políticos governistas.

    Então, essa gente – e o exemplo vivo está ali´com os Coelho de Petrolina, viciaram o pobre eleitor sertanejo – como eleitor de cabresto, só dar o voto em troca de alguma coisa.

    isso, por incrível que pareça, ainda ainda está em voga . É uma desgraça.

    Este cenário vergonhoso e deprimente só vai mudar no dia em que as igrejas passagem a assumir seu papel social e político, como pensava e agia nosso querido Dom Hélder Câmara.

    Aos políticos que têm vergonha na cara, cabe denunciar .

    E a nossa juventude precisa levantar a cabeça e assumir o papel que lhe cabe como o futuro do Brasil.

    Fico triste quando vejo a juventude distante dos livros, dos debates e de assumir posição contra tudo que existe de errado neste Pais.

    O que se pode esperar de uma juventude que tem como ídolo “pop star”, a figura de um tal Safadão, que existe para não cantar nada que preste, e muito mais para ganhar dinheiro?

    Dá uma pena …..