Plantão Covif-19: Lista dos serviços essenciais conforme Decreto Presidencial

Top 10: Notícias mais acessadas de 25/11/2019 a 29/11/2019

1 – Familiares e amigos pedem doação de sangue para rapaz que sofreu grave acidente na manhã de hoje em Salgueiro

2 – Jovem fica gravemente ferido ao colidir de moto contra D-20 na zona rural de Salgueiro

3 – Chuva alegra agricultores da zona rural de Salgueiro; veja vídeo

4 – Condenação de ex-prefeita de Salgueiro por improbidade administrativa transita em julgado no STF

5 – Moto cinquentinha é furtada em plena luz do dia na Avenida Central, em Salgueiro

6 – Agência do Trabalho de Salgueiro divulga vagas em aberto nesse final de semana

7 – Vereadora repudia pretensão do prefeito de Salgueiro de usar prédio da UPA 24H como sede da Secretaria de Saúde

8 – Criminosos danificam câmeras de segurança e furtam R$ 700 de estabelecimento comercial em Salgueiro

9 – Prefeitura de Salgueiro divulga nova convocação do concurso público realizado em 2016

10 – Agricultora pede que vereadores de Salgueiro briguem menos, durante sessão itinerante em Conceição das Crioulas

Varejo online fatura R$ 3,2 bilhões na Black Friday e cresce 23,6%, diz Ebit

As vendas online deste ano da Black Friday somaram R$ 3,2 bilhões e avançaram 23,6% na comparação com a edição de 2018, de acordo com um levantamento da Ebit|Nielsen divulgado neste sábado (30).

O levantamento também mostrou que houve uma leve redução tíquete médio de compras. Neste ano, os brasileiros tiveram um gasto médio de R$ 602, o que representa uma queda de 1,1% na comparação com 2018 (R$ 608).

Segundo a Ebit|Nielsen, foram registrados 5,33 milhões de pedidos, expansão de 25% na comparação com o ano anterior (4,27 milhões). Ao todo, 2,85 milhões de brasileiros fizeram algum tipo de compra pela internet na edição deste ano.

Um levantamento realizado pela Cielo – empresa de meio de pagamentos – também mostrou um desempenho melhor das vendas. O crescimento na Black Friday de 2019 foi de 16,5% na comparação com o ano passado. O avanço foi de 19,6% nas vendas online e de 16,2% nas físicas.

Os setores de turismo e transporte (alta de 31,6%), livrarias e papelarias (23,5%) e de móveis e eletrodomésticos (21,4%) tiveram maior crescimento no faturamento.

Os levantamentos da Ebit|Nielsen e da Cielo foram realizadas na quinta e na sexta-feira.

Fonte: G1

Presidente eleito no Uruguai pede fortalecimento do Mercosul e critica ‘ditadores’

O presidente eleito no Uruguai, Luis Lacalle Pou, fez neste sábado um chamado ao fortalecimento das relações entre presidentes do Mercosul e criticou os “ditadores” da América Latina.

“Teremos no Mercosul a melhor das relações com o presidente argentino, com o presidente brasileiro e com o presidente paraguaio para levantar a região”, prometeu Lacalle Pou, 46, durante um ato de comemoração da sua vitória nas eleições de domingo frente à governista Frente Ampla, de esquerda.

O ex-senador do Partido Nacional, de centro-direita, venceu com 48,8% dos votos o rival Daniel Martínez, que obteve 47,3%, após a conclusão, neste sábado, da apuração secundária habitual pelo Tribunal Eleitoral, que foi determinante, devido à diferença apertada de cerca de 35 mil votos entre os dois candidatos à presidência.

Diante de dezenas de milhares de pessoas reunidas em frente ao Rio da Prata, em Montevidéu, Lacalle Pou enviou uma mensagem para outros governos latinos.

“Precisamos de uma região forte, com bons governos, que tenham um bom relacionamento”, disse o presidente eleito uruguaio, que assumirá em 1º de março um mandato de cinco anos.

O líder de uma coalizão de cinco partidos, que contempla desde a direita até a esquerda social-democrata, criticou a política externa da Frente Ampla: “Não importa o partido, nem a ideologia. Se nos guiarmos pela ideologia nas relações exteriores, não estaremos representando todo o país, e nosso interesse é de todos e cada um dos uruguaios.”

“Está claro que, nas relações exteriores, não nos envergonharemos. Está claro o que iremos fazer: vamos chamar os ditadores de ditadores”, enfatizou o presidente eleito.

Fonte: UOL

Leonardo DiCaprio nega que tenha feito doação a ONG após acusação de Bolsonaro

O ator americano Leonardo DiCaprio se manifestou neste sábado (30) após o presidente Jair Bolsonaro acusá-lo de colaborar com queimadas criminosas na Amazônia por meio de doações à WWF, organização não governamental (ONG) que atua na área ambiental.

Em nota, DiCaprio negou ter feito doações a ONGs citadas em investigações sobre incêndios florestais no Brasil.

“Embora mereçam apoio, nós não financiamos as organizações citadas”, afirmou. No comunicado, o ator disse ainda ter orgulho de grupos que protegem ecossistemas e elogiou o povo brasileiro, que “está trabalhando para salvar seu patrimônio natural e cultural”.

Bolsonaro fez as acusações a DiCaprio nessa sexta-feira (29), ao se encontrar com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília.

“Quando eu falei que há suspeitas de ONGs, o que a imprensa fez comigo? Agora, o Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia”, disse.

Fonte: G1

Bolsonaro diz que não pode tabelar o preço da carne

O presidente Jair Bolsonaro afirmou a visitantes que o esperavam na porta do Palácio do Alvorada na tarde deste sábado que não pode “tabelar o preço da carne”, que subiu bastante neste fim de ano, e que o valor deve abaixar “daqui a algum tempo”. Bolsonaro foi abordado por um pecuarista que pedia para manter elevado o preço do produto.

— A questão do preço da carne: é a lei da oferta e da procura. Estava há poucos meses abatendo matrizes e a tendência era o exemplo semelhante, por falta de carne aqui, por falta de produção, o preço aumentar. Não posso tabelar, inventar. Isso não vai dar certo — disse.

Bolsonaro conversou com o pecuarista Edvaldo Luís da Silva, de Bonópolis (GO), que disse ter vindo a Brasília só para tentar falar com o presidente. Edvaldo fez um apelo e disse que o presidente “vai entrar para história” se manter o valor elevado da arroba da carne. Em São Paulo, o preço da arroba subiu 35% no último mês. 

Na última quinta-feira, Bolsonaro havia afirmado em uma rede social que não iria tabelar ou congelar o preço da carne. Ele já tinha reconhecido a alta nos preços e a atribuído ao aumento das exportações. Na live de quinta, ele disse que não podia “tomar medidas que não deram certo em nenhum lugar do mundo, como exportar menos para abastecer o mercado interno. É a livre concorrência.”

Fonte: O Globo