Presidente da Federação da Agricultura de Pernambuco declara apoio a Bolsonaro

O presidente da Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe), Pio Guerra, que chegou a assinar um manifesto prol Dilma na época do impeachment, declarou apoio ao candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), nesta quarta-feira, 17. Pio e outros 26 presidentes de federações da Agricultura e Pecuária divulgaram uma nota de apoio coletivo ao militar da reserva.

Segundo o comunicado, o setor agropecuário elaborou ao longo dos últimos meses um conjunto de propostas voltadas ao desenvolvimento da produção rural nos próximos 12 anos. O documento, intitulado “O Futuro é Agro”, contém ações de governo essenciais para a manutenção da agropecuária no país em níveis adequados de produtividade e competitividade.

Os presidentes das federações afirmam que as propostas de Bolsonaro são as que mais atendem as demandas históricas do setor. “A defesa da legalidade, da iniciativa privada e do direito de propriedade, a preservação da segurança jurídica, o combate à criminalidade no campo, a racionalização do sistema tributário, o reforço da infraestrutura logística para escoamento da produção, a expansão dos mercados internacionais e a compreensão de que o produtor é o protagonista da gestão do espaço rural são questões que demonstram o alinhamento das propostas de Jair Bolsonaro aos anseios da agropecuária brasileira”, justificam.

Da redação do Blog Alvinho Patriota

2 comentários sobre “Presidente da Federação da Agricultura de Pernambuco declara apoio a Bolsonaro

  1. Machado Freire

    E olhe que o Pio Guerra manobra essa instituição que suga o dinheiro público há algumas décadas.

    Ele é o “senhor dos senhores” e consegue apoio de todos os governos.

    Não tem esquerda, direito nem centro. Foi governo ele é um forte aliado.

    É a ideologia do “nós conosco”.

  2. D. Carvalho

    Ou seja, entregar tudo ao mercado internacional. Privatizar. Essa bancada ruralista que massacra o pequeno agricultor. Não vi uma proposta sensata falando sobre cooperativas, pequenos agricultores, o homem do campo de verdade e não os grandes monocultores. O Brasil está caminhando para uma grande catástrofe econômica, social, educacional e humana.