Vida FM Salgueiro FM

Missa do Vaqueiro de Serrita vai ser celebrada em Recife no dia 16 de junho

Uma versão inédita da Missa do Vaqueiro de Serrita será apresentada no dia 16 de junho em Recife, para marcar os 30 anos das mortes de Luiz Gonzaga e do Padre João Câncio, criadores da celebração religiosa que homenageia o vaqueiro sertanejo. O projeto “Tengo Lengo Tengo” é uma iniciativa do Governo de Pernambuco, através da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), Centro Cultural Cais do Sertão e da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe).

O evento conta com uma programação variada, que também envolve o lançamento da biografia de João Câncio e uma exposição com uma série de atividades culturais. A mostra “Tengo Lengo Tengo” será aberta no dia 13 de junho e segue até 27 de agosto no Museu Cais do Sertão.

Agendada para as 16h do domingo, dia 16, a Missa do Vaqueiro será realizada no vão livre do Cais. Cerca de 25 mil pessoas são aguardadas no local. O Altar e o Cruzeiro, que já viraram símbolos da celebração em Serrita, serão reproduzidos fielmente na capital. Vaqueiros trajando seus gibões de couro devem participar ativamente. Haverá uma liturgia completa.

Da redação do Blog Alvinho Patriota

Um comentário sobre “Missa do Vaqueiro de Serrita vai ser celebrada em Recife no dia 16 de junho

  1. Machado Freire

    Esqueceram de duas coisas fundamentais: que além dos meus queridos amigos João Câncio e Gonzagão, a Missa do Vaqueiro também contou com a participação -desde o primeiro momento (da primeira missa) , do poeta e repentista Pedro Badeira, de Juazeiro do Norte-CE.

    Outro ponto, também muito importante ( porque contraria a cultura e da IDEIA de Câncio e Gonzagão), é a exploração política e econômica que praticam, além da descaracterização histórica e cultura da figura do vaqueiro.

    Lá se cobra -durante a realização da “festa ” chamada de profana -e quase nada cultural, o estacionamento, preço muito alto das barracas e até para o uso de WCs.

    Apesar de ter participado das festividades desde o início e ter escrito dezenas de maérias sobre a Missa do Vaqueiro, depois da morte de Gonzagão e João Cancio eu tenho evitado comparecer ao local cuja programação e ação -do inicio ao fim, contraria quase cem por cento tudo o que os idealizadores e criadores da Missa pregaram.