Justiça suspende atividades em três hidrelétricas na bacia do Rio São Francisco em Minas

A falta de comprovação de segurança de três hidrelétricas localizadas no Rio São João, um subafluente do Rio São Francisco, em Minas Gerais, levou os ministérios públicos Federal e Estadual a pedir a suspensão das atividades nas três usinas. Elas ficam em Itaúna, na Região Centro-Oeste do estado. A Justiça acatou o pedido e decidiu paralisar os serviços de geração de energia elétrica e captação de recursos hídricos. A decisão também proibiu quaisquer obras ou atividades nas barragens que possam colocar em risco suas estruturas, salvo medidas de segurança.

As usinas atingidas pela decisão são: Coronel João Cerqueira de Lima (Barragem do Caixão), Doutor Augusto Gonçalves de Souza (Barragem Angu Seco ou Velha) e Coronel Jove Soares Nogueira (Barragem do Benfica, do Nogueira ou Nova). As atividades estão suspensas até a regularização. Elas pertencem a  Companhia Itaunense Energia e Participações e a Companhia Tecidos Santanense.

As empresas terão que apresentar o resultado de uma auditoria técnica independente que deve ser realizada por empresa com reconhecida expertise. Ela deve analisar a categoria de risco e o dano potencial associado às barragens, relate a atual condição de estabilidade e segurança das três estruturas. Os resultados devem ser entregues dentro de 40 dias para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Fonte: Estado de Minas