Plantão Covif-19: Lista dos serviços essenciais conforme Decreto Presidencial

Atendimento bancário II

IMG_20140620_150844_234Em Salgueiro os usuários de algumas agências bancárias estão sofrendo o pão que o diabo amassou, principalmente nos dias que antecedem e sucedem feriados e finais de semanas.

O atendimento prioritário das pessoas idosas, gestantes, mães com crianças de colo e outros, nem tanto. Porém, a grande massa dos usuários tem ficado até 4 horas para ser atendida.

Temos pena dos funcionários que se desdobram, multiplicam seus esforços no atendimento, mas, na verdade, os bancos só pensam em lucro, exploram seu pessoal e prestam um serviço de má qualidade aos clientes.

A lei que prevê que os atendimentos deverão ocorrer até 15 minutos em dias normais e no máximo em dobro – 30 minutos, nos dias de pico. Mas isso em Salgueiro nem de longe acontece.

Falta de dinheiro nos caixas eletrônicos.

Já virou costume as pessoas procurarem os caixas e não encontrarem nenhum dinheiro, nem alguém do banco para orientar, de forma que o cliente não tem a quem se dirigir.

Fui autor de projetos que se transformaram nas Leis Municipais 1.455/2004 e 1.746/2009 que estabelecem condições de atendimentos nas agências bancárias, como: proibição de atendimento ao público em piso superior quando não tiver elevador; dotação de sanitários para o público; tempo máximo de permanência para o atendimento; pessoal suficiente para prestar auxílio aos usuários no autoatendimento, etc., no entanto essas normas não vêm sendo cumpridas.

No entanto, uma lei proibindo uso de telefone celular, tem sido rigorosamente obedecida pelos bancos, ficando as pessoas horas e mais horas sem poderem se comunicar com o mundo lá fora, como se bandidos fossem, apesar das agências terem seus sistemas de filmagem, numa afronta à privacidade das pessoas, grande maioria clientes.

Vejam matéria neste blog tratando sobre o assunto (Atendimento bancário). Parece que não tem jeito mesmo, ou seja, enquanto não despertar nas pessoas as vias legais – jurídicas para combater o problema.

Por Alvinho Patriota