Plantão Covif-19: Lista dos serviços essenciais conforme Decreto Presidencial

Favoritos em eleição presidencial argentina assinam manifesto pró-Lula

O candidato Alberto Fernández e sua companheira de chapa, Cristina Kirchner, favoritos para a disputa em outubro na Argentina, pediram nesta terça-feira (20) a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, assinando uma petição com centenas de personalidades.

Dezenas de dirigentes de direitos humanos, governadores, legisladores, dirigentes sociais, sindicalistas, artistas e cientistas argentinos assinaram o pedido de liberdade intitulado “500 dias de injustiça” e com a hashtag #LULALIVREJÁ, publicado no jornal Página/12.

Entre os signatários estão o Prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel; a presidente das Avós da Praça de Maio, Estela Carlotto; a Mãe da Praça de Maio Taty Almeida e a dirigente de Familiares de Desaparecidos (na ditadura 1976-1983) Lita Boitano.

“É um clamor muito importante pela liberdade frente a uma injustiça, como é a detenção e a condenação de Lula da Silva, que implica o fato de o Brasil continuar em um estado de exceção”, afirmou Nicolás Trotta, reitor da Universidade Metropolitana do Trabalho e promotor da iniciativa.

No mês passado, Fernández visitou Lula (2003-2010), que está preso em Curitiba.

Nas primárias de 11 de agosto, Fernández surgiu como favorito para a eleição presidencial de outubro, com 47% dos votos, à frente do presidente liberal Mauricio Macri (32%).

Depois da derrota de seu aliado Macri, o presidente Jair Bolsonaro disse que o eventual retorno do kirchnerismo ao poder na Argentina pode levar a uma onda de refugiados no Brasil, similar à que enfrenta na fronteira com a Venezuela.

Pouco depois, Fernández chamou Bolsonaro de “misógino, racista e violento” e exigiu que “liberte” Lula, que manteve uma relação muito boa com os ex-presidentes argentinos, Néstor e Cristina Kirchner (2003-2015).

Fonte: AFP

Justiça eleitoral condena Haddad por caixa 2 em 2012; petista pode recorrer

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) foi condenado por suposto caixa dois da UTC Engenharia na campanha eleitoral de 2012, quando foi eleito. A pena imposta pelo juiz da 1ª Zona Eleitoral, Francisco Shintate, por falsidade ideológica eleitoral, é de 4 anos e 6 meses em regime semiaberto, segundo informações da Justiça. Cabe recurso.

Os valores teriam sido repassados pela empreiteira diretamente às gráficas de Francisco Carlos de Souza, ex-deputado estadual e líder sindical conhecido no PT como “Chico Gordo”. Ele confessou que recebeu os pagamentos, mas disse que não eram destinados à campanha do ex-prefeito, e sim a outros candidatos petistas cujos nomes não revelou à PF.

A denúncia narra que R$ 3 milhões teriam sido negociados com o empresário Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia, e depois repactuados para R$ 2,6 milhões. Além do empreiteiro, que é delator, o doleiro Alberto Youssef também citou as operações em depoimento.

Inocentado na esfera criminal

O ex-prefeito também foi denunciado na esfera criminal por este mesmo caso, envolvendo corrupção e lavagem de dinheiro. A 12.ª Câmara do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, no entanto, trancou a ação em fevereiro.

Segundo o voto do relator, desembargador Vico Mañas, a denúncia não esclarece qual a vantagem pretendida pelo empreiteiro, uma vez que os interesses da UTC foram contrariados pela gestão municipal, que chegou a cancelar um contrato já assinado com a empresa para a construção de um túnel na Avenida Roberto Marinho.

Fonte: Estadão

‘Homem-Aranha’ pode deixar de ser produzido pela Marvel, se não houver acordo com Sony

“Homem-Aranha” pode deixar de ser produzido pela Marvel, se ela não chegar a um acordo com a Sony.

A informação foi publicada nesta terça-feira (20) por vários sites americanos. Mas há divergências nas apurações: 

Segundo o Deadline, não houve acordo e o herói já está fora do Universo Cinematográfico Marvel; Já a revista “Variety” diz que ainda há negociação entre os estúdios: Marvel, parte do conglomerado da Disney, e Sony.

Nenhum representante dos estúdios se manifestou sobre o assunto até a publicação desta reportagem.

De acordo com os sites, a negociação já vinha acontecendo há alguns meses e está relacionada ao sucesso dos filmes de Kevin Feige, presidente da Marvel Studios.

No atual formato, a Disney recebe 5% do valor arrecadado no dia de estreia do filme e o valor de merchandising. O resto vai para a Sony;  A Disney exigiu, no entanto, a revisão para que a divisão fosse de 50% entre os estúdios, com Feige no comando das futuras produções.

É neste ponto que os estúdios estão discordando, segundo a “Variety”. Se o acordo não for feito, Feige não produzirá novos filmes do Homem-Aranha dentro do Universo Marvel.

O acordo entre Disney, Marvel e Sony para compartilhar os direitos dos filmes do herói aconteceu em 2015. Foi depois disso que Tom Holland virou o novo “Homem Aranha” e o personagem passou a fazer parte do time da Marvel.

Nesta configuração, a Sony ficava responsável pela distribuição dos filmes em que o personagem era o principal, enquanto a Disney cuidava dos outros títulos.

Fonte: G1

Rio-Niterói: sequestrador levou seis tiros, registra perícia inicial

As primeiras análises da perícia indicam que o homem que sequestrou um ônibus, na manhã desta terça-feira (20/08/2019), no Rio de Janeiro, levou seis tiros ao ser baleado por snipers do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Os tiros atingiram o antebraço direito, perna esquerda, braço esquerdo e o tórax do acusado Willian Augusto da Silva, de 20 anos, que faleceu no local do crime.

O sequestro durou cerca de quatro horas, iniciando às 5h30. Os militares conseguiram acertar William quando ele desceu do coletivo e jogou um casaco aos policiais. Nenhum dos 37 passageiros a bordo ficou ferido.

De acordo com o batalhão responsável pelo caso, a mãe do sequestrador disse que ele estava em surto psicótico há dias. Assim, a negociação dos policiais passou a ser tática, ao procurar alguma forma de conter o criminoso. As investigações também comprovaram que o revólver utilizado pelo sequestrador era de brinquedo.

Ao ser acertado, o coletivo foi cercado e uma maca foi deixada ao lado do ônibus para retirada do corpo. Os policiais foram aplaudidos pelos civis que estavam nas redondezas.

Fonte: Metrópoles