Presidente da Câmara de Vereadores diz que não convocará plebiscito sobre doação de terreno à Univasf

Iniciar um processo de plebiscito para a escolha do local onde o Campus da Univasf deve ser construído em Salgueiro está fora de cogitação para o presidente da Câmara de Vereadores, professor Agaeudes Sampaio. Nesta sexta-feira, 1, em entrevistas às rádios Vida FM e Executiva FM, ele descartou a possibilidade de decretar um plebiscito sobre o assunto, como quer o prefeito.

Para Agaeudes, a discussão a respeito do local para as futuras instalações da Univasf em Salgueiro já ocorreu em 2017, quando o Conuni da universidade aprovou a instalação de um campus em Salgueiro. “Não existe a possibilidade desse plebiscito e eu vou dizer porquê. Como vou fazer um plebiscito se só existe um local para a construção? Foi perguntado lá [na audiência pública] várias vezes se já existe outro local e não tem”, disse em entrevista à Executiva FM.

O presidente da casa legislativa afirmou que o plebiscito só teria sentido se o prefeito fornecesse uma opção concreta de outro terreno para a Univasf, já que o localizado nas proximidades do IF não pertence ao governo municipal. Agaeudes mantém o entendimento de que a solução menos burocrática seria a renovação do terreno que já foi doado à Univasf, na antiga estação ferroviária.

Entenda a celeuma

A Univasf chegou em Salgueiro em 2017, por articulação do ex-ministro da Educação Mendonça Filho (DEM), a pedido de Dr. Chico Sampaio, também filiado ao DEM, que era vice-prefeito na época. O gestor na ocasião, Clebel Cordeiro, ofereceu à Univasf diversos terrenos para a construção das instalações físicas e a instituição escolheu o imóvel da antiga estação ferroviária, por ser bem localizado e de fácil acesso, a exemplo de sua unidade em Petrolina.

A prefeitura então doou o terreno em 2018 e por falta de orçamento a universidade não conseguiu iniciar as obras até 2020. Como a lei de doação previa que o terreno voltaria ao patrimônio do município caso a construção não fosse iniciada em dois anos, a prefeitura precisa fazer um projeto renovando a doação e enviá-lo à câmara. Contudo, o atual gestor municipal não concorda com a doação do terreno da rede ferroviária, o que tem gerado todo esse desgaste.

Da redação do Blog Alvinho Patriota

6 comentários sobre “Presidente da Câmara de Vereadores diz que não convocará plebiscito sobre doação de terreno à Univasf

    1. Leitor do blog

      A Univasf já está implantada em Salgueiro, tem dois cursos e funciona no prédio da Fachusc! O que está se discutindo é o local da construção do campus.

  1. SAVIO BARROS

    MAIS UMA VEZ,OS POLITICOS DE SALGUEIRO PENSAM PEQUENO,AO DISCUTIR O QUE NÃO MAIS PRECISA.
    O LOCAL DA UNIVASF JA FOI ESCOLHIDO E DOADO,ENTÃO,NÃO PRECISARIA ESSA PENDENGA.
    AS LIDERANÇAS DEVERIAM ESTÁ CORRENDO ATRÁS DE VERBAS COM SEUS DEPUTADOS E SENADORES,PARA IMPLANTAR DE VEZ ESSE IMPORTANTE INSTRUMENTO EDUCATIVO.
    MAS SE FOR PARA OPINAR UM OUTRO LOCAL PARA INSTALAR A UNIVASF,O MELHOR LOCAL É EM UMÃS,AS MARGENS DA PE-483,EM UM TERRENO QUE PERTENCE A ESCOLA AGRICOLA DE UMÃS,OU SEJA,UM TERRENO PÚBLICO.
    ESSE TERRENO,DARIA PARA CONSTRUIR O PREDIO COM ALOJAMENTO,ESTACIONAMENTO E OUTRAS DEPENDENCIAS.
    SE OS POLITICOS QUISESSEM REALMENTE O DESENVOLVIMENTO DO MUNICIPIO DE UMA FORMA MAIS EQUIPARADA,TRARIAM A FACULDADE PRA UMÃS……………TERRA TEM DE SOBRA,E É PUBLICA…….MAS O EGO DOS POLITICOS ATRAPALHAM TUDO,E SALGUEIRO VAI PERDENDO A LIDERANÇA PARA OUTRAS CIDADES.

    1. DAMIÃO

      CONCORDO PLENAMENTE COM O CIDADÃO SÁVIO BARROS, SEM NENHUMA EXCEÇÃO, TODOS OS POLÍTICOS DESTA CIDADE QUE APOIARAM E VOTARAM EM SEUS RESPECTIVOS CANDIDATOS A DEPUTADO, DEVERIAM EXIGIR DE TODOS OS DEPUTADOS ELEITOS QUE AQUI GARIMPARAM VOTOS, QUE SE EMPENHEM PARA QUE A PENDENGA SEJA RESOLVIDA, NÃO DEIXEM MAIS UMA OPORTUNIDADE COMO ESTA ESCAPAR DA NOSSA CIDADE, PENSEM NA POPULAÇÃO LOCAL E DEIXEM DE PICUINHAS, A POPULAÇÃO ESTÁ PRECISANDO DE ATITUDES CONCRETAS E DESTA UNIVERSIDADE AQUI EM SALGUEIRO-PE; SALGUEIRO JÁ PERDEU MUITO E NADA MAIS PODE PERDER….

  2. Izilda Antonia de Sá

    Qual a Verdade nessa celeuma? O que realmente cria obstáculos para o andamento da implantação da Univasf em Salgueiro? É uma pessoa, uma lei, uma Instituição legal, ou uma vaidade política? Qual o peso da balança? Se fosse para instalar um estádio de futebol, não haveria obstáculos.