PE cria protocolo para retomada de consultas, diagnósticos e cirurgias eletivas na rede assistencial de saúde

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgou, nesta terça-feira (9), um protocolo para a realização de consultas, diagnósticos, cirurgias eletivas e demais procedimentos ambulatoriais. As medidas buscam conter a curva de disseminação do novo coronavírus e incluem cuidados com higiene e manutenção do distanciamento social. A partir da quarta (10), esses serviços estão liberados.

De acordo com a publicação feita no Diário Oficial desta terça, a SES determina que os consultórios, clínicas, laboratórios e hospitais devem manter no mínimo 1,5 metro de distância entre profissionais de saúde, colaboradores, pacientes e acompanhantes.

O horário de atendimento também deve ser escalonado para evitar aglomerações, sendo permitidos até dois pacientes por hora nas etapas iniciais do cronograma. Em caso de necessidade, há autorização para um acompanhante por paciente.

Para as empresas com mais de 20 funcionários, além da sintomatologia, o governo estadual determina que a temperatura dos trabalhadores seja medida diariamente. O uso de máscaras durante o expediente também faz parte do protocolo, assim como a higienização constante de superfícies como maçanetas, mesas e teclados.

Caso um funcionário apresente sintomas da Covid-19, a orientação é afastar o profissional do trabalho por até 14 dias. Os colaboradores também devem informar à empresa se tiveram contato com pessoas diagnosticadas com a doença provocada pelo novo coronavírus.

As determinações do governo devem ser vistoriadas pela Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa). “Estamos reforçando as diretrizes para os técnicos, para, em cima desses parâmetros de segurança, fazermos a fiscalização, para que o distanciamento e a higienização sejam efetivos”, disse o gerente geral da Apevisa, Josemaryson Bezerra.

Consultórios odontológicos

Para os dentistas, a rotina de desinfecção de materiais que já existia antes da pandemia deve ser reforçada. “Criamos uma resolução que estipula 30 minutos de intervalo entre cada paciente. Isso é central nesse momento”, afirmou o presidente do Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco(CRO-PE), Eduardo Vasconcelos.

Nos consultórios, a autarquia determina a retirada de 50% das cadeiras da sala de espera e o fornecimento de máscaras, caso o paciente não tenha. Os dentistas também são orientados a usar máscaras cirúrgicas, escudos faciais e capotes durante o atendimento. A resolução está disponível no site do CRO-PE.

Fonte: G1