Ministério anuncia terceira troca de presidente da Petrobras no governo Bolsonaro

O Ministério de Minas e Energia anunciou em nota oficial na noite desta segunda-feira (23) a demissão de mais um presidente da Petrobras. Após 40 dias no cargo, José Mauro Ferreira Coelho foi dispensado. Ele foi o terceiro presidente da estatal no governo Jair Bolsonaro. Os dois anteriores, também demitidos, são Roberto Castello Branco e Joaquim Silva e Luna.

Para o lugar de José Mauro Coelho, o governo decidiu indicar Caio Mário Paes de Andrade, auxiliar do ministro Paulo Guedes no Ministério da Economia, onde ocupava o cargo de secretário de Desburocratização.

A indicação precisa ser aprovada pelo Conselho de Administração da Petrobras, no qual o governo tem maioria por ser o acionista majoritário da empresa.

Os três demitidos da presidência da Petrobras foram vitimados pela progressiva elevação do preço dos combustíveis.

Pré-candidato à reeleição, Jair Bolsonaro cobrou de todos eles que os preços fossem contidos.
Mas a Petrobras está submetida ao critério de paridade internacional, política adotada pelo governo Michel Temer em 2016 que faz o preço dos combustíveis variar de acordo com a cotação do barril de petróleo no mercado internacional e das oscilações do dólar.

De acordo com a nota do ministério, “diversos fatores geopolíticos conhecidos por todos resultam em impactos não apenas sobre o preço da gasolina e do diesel, mas sobre todos os componentes energéticos”.

“Dessa maneira, para que sejam mantidas as condições necessárias para o crescimento do emprego e renda dos brasileiros, é preciso fortalecer a capacidade de investimento do setor privado como um todo. Trabalhar e contribuir para um cenário equilibrado na área energética é fundamental para a geração de valor da Empresa, gerando benefícios para toda a sociedade”, diz o texto.

Em abril, Caio Paes de Andrade chegou a ser cotado para presidir a estatal, depois de o economista Adriano Pires recusar convite para ocupar o cargo. Na ocasião, o governo buscava um sucessor para Joaquim Silva e Luna.

Fonte: G1

Um comentário sobre “Ministério anuncia terceira troca de presidente da Petrobras no governo Bolsonaro

  1. DAMIÃO

    Sendo a PETROBRAS UMA ESTATAL BRASILEIRA, QUEM DETEM O PODER SOBRE ELA E O NOSSO PRESIDENTE DA REPÚBLICA E NÃO ACIONISTAS NEM PRESIDENTES DA MESMA.
    Se demissões de presidentes da PETROBRAS valessem alguma COISA, os preços dos derivados do PETROLEO não suberiam desenfreadamente, essa demissões parecem mais manteiga nas narinas de gatos,O PRESIDENTE DA REPÚBLICA tem que tomar urgentes providencias, a melhor delas é fazer valer a sua condição de PRESIDENTE DA REPÚBLICA, determinando ou ordenando a redução dos preços dos derivados de petroleo, todas as vezes que oocorre o aumento de preços nos derivados do petróleo, o preço de todos os produtos sobe, o CARRO CHEFE PARA INFLACIONAR os preços de todos os produtos é o aumento no preço dos combustíveis.
    SÓ DIGO UMA COISA: TODA VEZ QUE OS PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS SOBE, COM ESTES FAMIGERADOS AUMENTOS O PRESIDENTE DA REPÚBLICA PERDE VOTOS QUE NÃO SÃO POUCOS, até o cidadão menos alfabetizado ou analfabeto sabe disso por conta da corrosão do seu já minguado salário.