Mãe que matou os filhos no Rio de Janeiro não fazia tratamento psiquiátrico, diz marido

O delegado Silvino Teixeira, titular da 67ª DP (Guapimirim), disse nesta terça-feira que ainda não há uma motivação estabelecida para a morte das duas crianças, esfaqueadas pela mãe, nesta segunda-feira . O crime chocou o município de Guapimirim, na Baixada Fluminense. Stephani Ferreira Peixoto, de 35 anos, mãe dos meninos, foi encontrada na sala de casa com os pulsos cortados.

Os policiais encontraram os meninos, Bruno Leonardo, de 6 anos e Arthur Moisés, de 3, na cama, sem vida. Foi o pai dos meninos que acionou a polícia e segundo ele, a mulher não tinha nenhum acompanhamento psiquiátrico. “O marido fala que nunca teve tratamento de nada e elogiou ela como uma excelente mãe. A motivação ainda é zero, ela continua internada […] a princípio, ele não desconfia de nada”, disse o delegado.

Stephani ligou para o marido para falar que havia tirado a vida dos filhos e que iria se matar. “Ele correu pra casa, arrombou o portão, os vizinhos viram. Ele não conseguiu entrar em casa, embora a porta estivesse aberta. Ele diz que não teve força pra entrar porque a casa estava toda suja de sangue”, explicou o titular da unidade.

A acusada foi levada por policiais, no início da tarde desta terça-feira, do Hospital Municipal José Rabello de Mello, onde estava sob custódia, em direção ao Complexo Penitenciário de Gericinó (Bangu). Na saída, houve confusão entre parentes da mulher e pacientes da unidade. Stephany permaneceu todo o tempo de cabeça baixa, escoltada por três policiais. Exaltadas, algumas pessoas gritavam frases como “assassina” e “Deus vai te cobrar”. Por sua vez, familiares dela falavam: “Não vamos te abandonar” e “Estamos com você”.

Fonte: Último Segundo e Jornal Extra