Grupo cultural de Itacuruba recebe diploma de Patrimônio Vivo entregue pela Fundarpe

No último fim de semana, o Grupo Cultural e Religioso Guardiões(ãs) de São Gonçalo, sediado em Itacuruba, recebeu o diploma de Patrimônio Vivo de Pernambuco entregue por representantes da Fundarpe, dentro das comemorações do Dia da Consciência Negra. A solenidade também contou com a participação de representantes do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco (CEPPC/PE).

O grupo itacurubense foi eleito em 2020 como um dos Patrimônios Vivos de Pernambuco, com ajuda de outra instituição do Sertão pernambucano. “Em 2020, a Confraria do Rosário, irmanada com o São Gonçalo de Itacuruba, resolveu indicar e ajudar o grupo a concorrer no Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco, até porque este é um grupo que conserva a cultura e a parte religiosa da dança de São Gonçalo. Organizamos toda a documentação e pleiteamos o reconhecimento, que foi agraciado”, explicou João Luiz, rei perpétuo e representante legal da Confraria do Rosário de Floresta.

O presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, destaca a importância do reconhecimento dessa manifestação cultural de Itacuruba. “O reconhecimento do Grupo Cultural e Religioso de São Gonçalo de Itacuruba como Patrimônio Cultural Vivo do Estado é motivo de orgulho para Pernambuco, pois este título é uma forma de valorização e incentivo à cultura de um povo que a mantém viva por gerações. Por essa razão, fizemos questão de realizar a entrega do diploma de Patrimônio Vivo diretamente nas mãos dessa importante manifestação cultural pernambucana. Parabenizo todos que fazem o grupo, uma inspiração de fé e resistência”, disse.

Da redação do Blog Alvinho Patriota