Comentário em destaque

Comentário feito por Alvinho Patriota na matéria Presidente do DCE da Univasf afirma que foi expulso por prefeito de Salgueiro ao pedir renovação de doação de terreno para campus:

Alvinho Patriota

 

17 de setembro de 2021 em 06:53

 

Lamentável essa situação. Para se tratar de assuntos tão sérios precisa-se de agenda institucional. Cadê a Univasf?

Não se venha dizer que a Universidade está para atender apenas os alunos de Salgueiro (e do centro).

Quando cursei a faculdade como tantos de Salgueiro-PE, tínhamos que viajar até 500 km, ida e volta (Crato, Souza, Patos), sem qualquer ajuda do Poder Público.

Não estou acusando nem defendendo administração atual ou anterior. Acho no entanto que assuntos dessa natureza precisam ser tratados com seriedade, em audiência pública e não com sensacionalismo. Até porque não se consegue as coisas no grito.

Ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer algo senão por força de lei. A lei da doação caducou, precisa de outro projeto e não se consegue à força e sim, com o diálogo.

Eu particularmente sou a favor da descentralização da Univasf para o campus universitário que existe em Salgueiro, onde estão o Instituto Federal (cujo terreno, salvo engano150 hectares) foi adquirido pela Prefeitura e doado a União, estando mais de 90% ocioso, lamentavelmente; o CES e a UPE. Além do IML em fase de construção.

Bem, precisamos garantir melhor mobilidade não para um bairro e sim para toda região.
Respeito, contudo, toda decisão democrática e não conseguida no grito, sobretudo de quem não representa nossa sociedade, isoladamente.

Alvinho Patriota

3 comentários sobre “Comentário em destaque

  1. Izabella

    Sabe-se que no Brasil industrial a implantação das estradas de ferro faz parte do processo político e econômico do país, evoluindo para o desenvolvimento econômico das regiões percorridas pelos trilhos. Nesse sentido foram implantadas diversas ferrovias dentre elas a rota Recife ao Rio São Francisco, a segunda construída no Nordeste levando desenvolvimento e povoando o território margeado pela estrada de ferro.

    As estruturas dos pátios ferroviários eram sendo erguidas de acordo com a necessidade das demandas de produção e passageiros de cada região que por estratégica de localização geográfica eram definidas a construção.

    De acordo com o IPHAN/PE foi apontado a existência de 156 pátios ferroviários distribuídos no Estado, entre eles o Pátio ferroviário de Salgueiro/PE está preservado e inscrito na lista do Patrimônio Cultural Ferroviário, hoje popularmente conhecido como Estação. Visto como grande potencialidade por está localizado na área central da cidade, tem sido alvo de várias polemicas a respeito da implantação do Campus Universitário da UNIVASF, o que me chama a atenção opinar o assunto.

    Tendo como base contextual a Preservação do Patrimônio Ferroviário passa pelo processo de valoração cultural demandado pela Lei 11.483/2007, em atenção ao artigo 216 da Constituição Federal de 1988, como portador de referência à Memória Ferroviária Brasileira. A partir desse processo de valoração do patrimônio ferroviário em Pernambuco, pode-se perceber o quanto a memória ferroviária é determinante para a preservação dos aspectos culturais e histórico do local assim como um conjunto de valores como o arquitetônico, paisagístico, memória e histórico.

    No assunto em questão é importante pontuar que o tratamento dos remanescentes ferroviários só fará sentido se trabalhados em conjunto com planejamento urbano da cidade.

    Dessa forma, valorizaria as atividades realizadas na estação e permitiria uma melhor compreensão destes remanescentes.

    Outras ações visuais e arquitetônicas podem somar para o resgate da memória coletiva e organização do espaço urbano como por exemplo: o controle de gabarito do entorno, que pode ser realizada através da revisão do Plano Diretor da cidade, evitando que futuramente as edificações sejam verticalizadas exageradamente, prejudicando o skyline e o significado do lugar.

  2. PAULO SILVA

    Bom dia.
    Se o prefeito atual viabilizar o transportes escolar e também o transporte coletivo, salvo memoria foi extinto pelo prefeito atual.
    Sabemos que temos horários habitual de segunda a sexta, mais quando os alunos forem fazer trabalhos no If-sertão nos sábados e domingos, vai ter transportes para eles?
    A Universidade tem quer ser no centro da cidade para melhor locomoção e também, comércios próximos para gerar a nossa economia local.
    Sem contar com poeiras e lamas que temos na estação ferroviária durante o ano todo, asfaltando e concluindo a ponte interligando o bairro Santa Margarida e outros bairros, sem contar a valorização dos imóveis ao redor da Universidade.

  3. Ubaldo Bizerra dos Santos

    Como sempre, esse comentário de Alvinho Patriota é um guarda chuva de sensatez, também para mim, o correto é trazer a UNIVASF para aquela área, onde já existem outras instituições do gênero IF, IML, HEMOPE e deixar a área da Estação Ferroviária para atender as necessidades de Cultura e Lazer. È mais confortável para a nossa população. È minha opinião.