Bolsonaro diz que Weintraub não foi ‘prudente’ e não representava governo ao participar de ato

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nessa segunda-feira (15), em entrevista à Band News, que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, “não foi muito prudente” ao comparecer no domingo a um ato de apoio ao governo na Esplanada dos Ministérios em Brasília. Segundo Bolsonaro, o ministro estava representando a si próprio e não ao governo.

Weintraub participou do ato depois que, na noite anterior, um grupo de apoiadores do governo lançou fogos de artifício contra o prédio do Supremo Tribunal Federal. Políticos e autoridades reagiram. A Procuradoria Geral da República instaurou procedimento para apurar o ataque.

“Quanto à participação do ministro no dia seguinte num grupamento de pessoas, que não foram as pessoas que soltaram fogos para cima do Supremo Tribunal Federal, eu acho que ele não foi muito prudente ao participar dessa manifestação, apesar de nada de grave ele ter falado ali. Mas não foi um bom recado. Por quê? Ele não estava representando o governo, estava representando a si próprio”, afirmou Bolsonaro.

Nessa segunda, o presidente recebeu Weintraub em audiência no fim da tarde no Palácio do Planalto.

De acordo com o Blog de Andréia Sadi, a ala política do governo defende a demissão do ministro, que compartilha as críticas de militantes bolsonaristas ao Supremo Tribunal Federal. Na reunião ministerial de 22 de abril, tornada pública por decisão do ministro Celso de Mello, do Supremo, Weintraub atacou o tribunal. Na ocasião, disse que, por ele, “botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”. Segundo o Blog do Camarotti, auxiliares do presidente consideram “insustentável” a permanência do ministro no cargo.

Fonte: G1