Ao menos 43 cidades de SP já cancelaram carnaval de 2022 por conta da pandemia

Ao menos 43 cidades do estado de São Paulo decidiram cancelar o carnaval em 2022 por conta da pandemia de coronavírus.

Dentre elas estão Botucatu, Sorocaba, Mogi das Cruzes, Poá e Suzano. Será o segundo ano consecutivo que o evento não ocorrerá nesses municípios.

Embora as taxas de ocupação estejam baixas e os índices da doença registrem melhoras no comparativo com os piores meses da pandemia, na avaliação de alguns gestores municipais, o momento é de cautela.

As prefeituras temem que a folia possa gerar uma nova onda de contaminação do coronavírus e volte a elevar o número de casos e óbitos.

A média móvel diária de mortes é de 72 nesta terça-feira (23) no estado de São Paulo. O valor é 15% maior do que o registrado há 14 dias, o que para especialistas indica tendência de estabilidade. Já a média diária de casos é de 1.400, valor 33% maior do que o de 14 dias, o que aponta tendência de alta.

Outra justificativa citada é a situação econômica de alguns municípios, que alegam não ter verba para a festa.

Fonte: G1

3 comentários sobre “Ao menos 43 cidades de SP já cancelaram carnaval de 2022 por conta da pandemia

  1. Laura Simplício de Barros

    Aqui em Salgueiro as autoridades estão Planejando é antecipar a festa autorizando grandes blocos a fazerem festas algumas semanas antes do carnaval ,no Bairro da Bomba as festas agora são diárias e sem qualquer acompanhamento da Prefeitura, atualmente está havendo
    a novena de N S das Graças que se encerra por volta da 20;30hs e nem assim os bares da
    localidade deixa sequer o Padre terminar a Missa para começar as festas com som alto e
    a mínima condição da missa prosseguir. Ali não existe a menor fiscalização ,as pessoas não usam máscara e as festas são diárias e sem hora para terminar, pelo que vemos o Prefeito e
    o Secretário de Saúde estão querendo é que se tenha Carnaval e que a quantidade pessoas
    CONTAMINADAS aumentem , e que venha mais dinheiro para Salgueiro pelo Ministério da Saúde.