7 de Setembro, data magna da Independência do Brasil

Por Machado Freire

O “Dia da Pátria” bem que deve ser comemorado por nossos patrícios como algo importante do ponto de vista político e histórico, igual a todos os países do mundo – inclusive os de regimes totalitários. Devemos enaltecer e continuar defendendo a liberdade, a democracia e, sobretudo, a paz social. É preciso que encaremos e respeitemos esta data sem recorrer ao discurso azedo de um punhado de pessoas que se acham no direito de tripudiar a Lei Maior do nosso País e incorrer em atos irresponsáveis e eleitoreiros.

É ridículo exigir democracia apelando – de forma aberta e escancarada, por ações nefastas e negacionistas que tendem a empanar a cruel realidade que enfrentamos com o empobrecimento das famílias de trabalhadores desempregados, que hoje estão na “rua da amargura”, sem condições de comprar um botijão de gás e pagar o aluguel de casa. Exigir liberdade de expressão com agressões à própria Constituição Federal é NEGAR seriedade e respeito à maioria dos nossos compatriotas “sem eira nem beira”.

No grupo do “faz de conta” exige-se até que os Poderes Legislativo e Judiciário sejam extintos, tamanha é a falta de seriedade e de interesse público. Eles defendem a liberdade de expressão que “perdeu o rumo da prosa” e transformou-se de repente em um mote que aponta para agressão fácil, generalizada, defendida por pessoas que se transformaram em “massa de manobra”; que seguem como “cego em tiroteio” a uma ordem de quem não demonstra a mínima preocupação com quem sofre por falta de comida, saúde e educação.

Querem transformar o Brasil em uma republiqueta de quinta categoria, na base do grito, da chacota e tem como ponto de partida uma tal de “motociata domingueira”, que só serve para fazer barulho nas ruas de cidades simples do interior, cujas famílias precisam de abastecimento de água, saneamento, emprego e renda. Imaginem só: querem transformar a motociata e um “programa de governo”. Peraí, “parem o andor que o santo é de barro”.

5 comentários sobre “7 de Setembro, data magna da Independência do Brasil

  1. DAMIÃO

    NUNCA IMAGINEI QUE EM PLENO SECULO 21 (QUE TEVE INÍCIO NO DIA PRIMEIRO (1º) DE JANEIRO DE 2001 E FINDA NO DIA TRINTA E UM (31) DE DEZEMBRO DO ANO DE 2100), MUITAS ÁGUAS AINDA PASSARÃO SOB AS PONTES DA VIDA; PORÉM MUITA GENTE AINDA FICA NAS MEIMICES, NÃO ABOLIRAM DEFINITIVAMENTE AS VISEIRAS, ESTAMOS PRECISANDO MUITO É DE COMPRAR OU ADQURIR ALIMENTOS, PORÉM MUITA GENTE NÃO ESTÁ TENDO CONDIÇÕES DE COMPRÁ-LOS EM ESPECIAL O FEIJÃO, QUANTO MAIS FUZIS COMO DISSE RECENTEMENTE O PR.
    CONCORDO PLNAMENTE COM MACHADO FREIRE E COM QUEM CONCORDA COM ELE.

  2. Everaldo Vieira

    Hoje temos um primata na presidência, ir as pessoas segue cegamente esse maluco, que está destruindo o nosso país. Parabéns pelo texto, Machado.

  3. Jm

    Se esse comentario fosse a 8 anos atras seria. Mensalão, lavagem de dinheiro, propina ,odebrecht. Mala de dinheiro. E etc. Mais agora é so mimimi, mimimi, e mimimi.

  4. M. Carvalho

    Tenho muito respeito e admiro seu ponto de vista companheiro Machado. Sempre tendo uma visão real da nossa realidade. Nosso país chegou aos caos com esse governo. Mas seguimos lutando.

  5. DAMIÃO SÁ

    MEU CARO AMIGO E CONTERRÂNEO MACHADO FREIRE (J), VOCÊ MERECE E MUITO TODOS OS PARABENS DE TODAS AS PESSOAS SENSATAS QUE GOSTARIAM DE SE EXPRESSAR COMO VOCÊ SE EXPRESSOU POR ESCRITO, FICANDO ASSIM REGISTRADO TODOS OS VERDADEIROS SENTIMENTOS DE UMA PESSOA CENTRADA E SENSATA, SENTIMENTOS ESTES QUE MUITOS DE NÓS PRECISARIAMOS TER, VOCÊ SÓ ESCREVEU E FALOU APENAS A VERDADE VERDADEIRA.
    MEUS SINCEROS PARABENS E QUE DEUS CONTINUE A LHE ILUMINAR COMO SEMPRE LHE ILUMINOU E LHE DÊ MUITOS E MUITOS ANOS DE VIDA.