Roraima terá maior controle de fronteira para ordenar fluxo de venezuelanos

Depois do anúncio de assinatura de uma medida provisória decretando uma espécie de “estado de emergência social” em Roraima, e a criação de uma coordenação nacional, comandada por um general, para orientar a realização de programações que permitam melhorar as condições, por conta da entrada dos milhares de venezuelanos no Estado, os ministros da Defesa, Raul Jungmann, do Gabinete de Segurança Constitucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, e da Justiça, Torquato Jardim, detalharam, em entrevista nesta segunda-feira, 12, durante visita à Roraima, algumas das medidas a serem desencadeadas.

Além do comando da força tarefa conjunta, haverá aumento de 100 para 200 homens nos pelotões de fronteira em Roraima, com duplicação dos pontos de controle na fronteira, no interior do Estado e entre Pacaraima e Boa Vista. Haverá, também, desdobramento de um hospital de campanha em Pacaraima, para atender o fluxo inicial dos venezuelanos que estão entrando no País.

Novos centros de triagem serão instalados para ajudar na recepção dos venezuelanos, assim como estão sendo deslocadas motocicletas com equipes volantes para reforçar além dos postos de fronteira. No âmbito do Ministério da Justiça, 32 homens da Força Nacional que estão em Manaus serão deslocados para Roraima, assim como oito caminhonetes serão levadas para ajudar no patrulhamento das cidades.

Haverá também repasse de recursos para auxílio ao Estado e aos municípios. O ministro da Justiça chegou a falar dos primeiros R$ 700 mil para a instalação de centros de referência e anunciou nova reunião conjunta em 14 de março, para tratar especificamente dos problemas com a população indígena na região, atribuindo os entraves existentes a questões meramente ideológicas. Reiterou ainda que será iniciado um censo entre os venezuelanos.

Fonte: Agência Estado