Plantão Covif-19: Lista dos serviços essenciais conforme Decreto Presidencial

Rádio Asa Branca de Salgueiro prepara extensa programação para comemorar aniversário de 35 anos

Pioneira no Sertão Central, a rádio Asa Branca de Salgueiro comemora 35 anos em setembro e preparou uma extensa programação para comemorar. A emissora foi fundada na frequência AM em 1984, mas opera em Frequência Modulada desde dezembro de 2018. É um veículo de comunicação pertencente à Diocese Salgueiro e administrado pela Comunidade Boa Nova.

As comemorações começam no dia 3 de setembro com a ação social “Fazendo o Bem”, das 7h30 às 10h, na Praça da Catedral de Santo Antônio. Serão oferecidos diversos serviços gratuitos, como aferição de pressão arterial, teste de glicose, cortes de cabelo, orientação nutricional e serviços de saúde bucal.

Dando continuidade, a ‘Noite de Oração pelas Famílias” ocorre na quarta-feira, 4, às 19h, no mesmo local, com a presença do fundador da Comunidade Boa Nova, Hamilton Apolônio. Na quinta-feira, 5, das 8h às 17h, haverá adoração na capela da emissora. Sexta-feira, 6, a Asa Branca fará um “Tributo a Luiz Gonzaga”, homenageando o artista que inspirou o nome da rádio. Vários artistas se apresentam na Praça da Catedral, a partir das 19h.

A festividade termina no sábado, feriado de 7 de Setembro, dia do aniversário da rádio. O bispo da Diocese Salgueiro, Dom Magnus Henrique, celebrará uma missa em ação de graças pelos 35 anos da emissora. Em seguida, será cortado o bolo de aniversario e servido a todos que estiverem presentes.   

Da redação do Blog Alvinho Patriota

Um comentário sobre “Rádio Asa Branca de Salgueiro prepara extensa programação para comemorar aniversário de 35 anos

  1. Machado Freire

    A história deve ser contada tal como aconteceu

    O projeto da Rádio Asa Branca de Salgueiro foi uma iniciativa do então padre Pedro Mansueto de Lavor, que nasceu em Serrita e tornou-se deputado estadual, federal e senador da República.

    Mansueto de Lavor lutou com muita garra para implantar o projeto que tinha como ponto de partida a formação de uma sociedade(empresa) que teve a participação dos empresários Antonio José de Souza (Antonio Dedé), Sazinho Tavares, entre outros.

    Mansueto enfrentou grandes dificuldades para receber o SIM do Minisitério das Comunicações porque ele era um político de esquerda. Porisso, o processo demorou bastante para ser aprovado, segundo ele próprio me revelou.

    O ex-senador tornou-se amigo do Rei do Baião Luiz Gonzaga -que era bem visto pela direita governista, fato que contribuiu para facilitar a liberação do Dentel para a autorização de funcionamento da rádio.

    Na divisão de quotas da empresa, outro fato que também ajudou foi a participação da Diocese de Petrolina que na época abrangia a Paróquia da Igreja Católica sediada em Salgueiro.

    A denominação da emissora de rádio AM pioneira no Sertão Central deu-se através de um sorteio onde muitos nomes foram colocados, mas o de ASA BRANCA, sugerido pelo próprio Mansueto de Lavor, foi “uma bênção” porque veio a homenagear a ave que simboliza o Sertão e lembra a música que coroou de êxito o repertório do artista filho de Exu que cantou e encantou o Sertão Nordestino até ser reconhecido como Rei do Baião.

    Estas informações são apenas um resumo da história da nossa querida Asa Branca, que funcionou bom tempo como “rádio laboratório” que encaminhou muitos jovens para o exercício da profissão de radialista, deles que “conseguem” esquecer que sem Mansueto de Lavor não teríamos vencido as dificuldades para implantar o projeto que muito nos orgulha como sertanejo, de fato e de direito, independentemente de receber ou não esse tão esferrrapado e explorado título de “cidadão” de Salgueiro.
    A Asa Branca é salgueirense, sim senhor !