Palestra de Glenn Greenwald em Paraty é abafada por protesto

Uma palestra do jornalista Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil, estava prevista para começar às 19h de ontem no barco da Festa Literária Pirata das Editoras Independentes (FLIPEI), parte da programação paralela da Flip. Até as 19h30, no entanto, o evento não teve condições de iniciar por conta do barulho de um protesto próximo. Os manifestantes pararam após uma intervenção da polícia, mas logo voltaram com o som alto e rojões.

O ato foi convocado nas redes sociais por apoiadores da Lava-Jato que são contra a presença de Glenn na Flip – seu site tem publicado diálogos atribuidos a procuradores da operação e ao juiz Sérgio Moro. A partir das 19h, o grupo localizado no mesmo cais do barco da Flipei passou a tocar som alto e soltar fogos de artifício.

Na trilha sonora estavam o Hino Nacional, em versão oficial e remix, “Detalhes”, de Roberto Carlos e “Pavão misterioso” – @pavaomisterioso é um perfil no Twitter que afirma ter prints comprometedores de jornalistas do Intercept e de políticos do PSOL – partido do marido de Glenn, o deputado federal David Miranda.

Público mobilizado

Durante o protesto, uma pessoa da organização da Flipei pegou um microfone e pediu ao público para não reagir com violência. Após uma intervenção da polícia, o som do protesto foi cortado e Greenwald pode iniciar a palestra às 19h30. O tema eram os desafios do jornalismo em tempos de divisão política e o poder da informação e também os diálogos publicados no site, que tem sido chamados de “Vaza-Jato”.

Fonte: O Globo