Plantão Covif-19: Lista dos serviços essenciais conforme Decreto Presidencial

Macron: Compromisso do Brasil sobre clima foi chave para acordo

O presidente da França, Emmanuel Macron, avaliou que o compromisso do Brasil com a luta pela biodiversidade e com oAcordo de Paris foi fator chave para destravar o acordo comercial entre Mercosul e União Europeia. “A verdadeira mudança na fase final de negociação foi a afirmação clara pela qual o Brasil se comprometeu com o Acordo de Paris e pela luta pela biodiversidade”, afirmou o francês a jornalistas durante o G-20, no Japão.

Antes do início da cúpula das 20 maiores economias do mundo, o francês havia dito que não assinaria um acordo com o Mercosul se o presidente Jair Bolsonaro levasse adiante a promessa de retirar o Brasil do acordo climático de Paris. Na sexta-feira, já nos corredores da cúpula, Bolsonaroe Macron se reuniram e o presidente do Brasil assumiu o compromisso de continuar no trato. “O presidente Bolsonaro me confirmou o seu compromisso, ao contrário das preocupações que se podia ter, com o Acordo de Paris e a luta pela biodiversidade”, afirmou o francês sobre a reunião. “Estamos comprometidos com o acompanhamento desses compromissos”, completou Macron.

Há um mês, o governo francês divulgou um comunicado reforçando sua posição contrária a um acordo entre os dois blocos se o consenso ferisse seus “interesses internos” e pegou representantes do governo brasileiro, que estavam em Paris na ocasião, de surpresa. “A França não ratificará qualquer acordo que prejudique os interesses dos agricultores e consumidores franceses, os requisitos de saúde e qualidade alimentar das normas europeias e os nossos compromissos ambientais no âmbito do Acordo de Paris”, apontou um comunicado assinado pelo ministro da Agricultura e Alimentação, Didier Guillaume. Naquele dia, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, teve uma reunião com a comissária europeia para o Comércio, Cecília Malmström, para marcar uma data para a reunião que resultaria no acordo anunciado agora.

O governo Bolsonaro foi pressionado pelos europeus a se comprometer com a política climática depois de ter anunciado, durante a campanha eleitoral, que poderia retirar o Brasil do acordo de Paris — a exemplo do que fez o governo americano. No G-20, o presidente brasileiro precisou trabalhar para desfazer o mal estar com os europeus e, além de conversas de bastidores, adotou um discurso mais moderado do que rascunhos iniciais debatidos pela sua equipe, com ênfase no sistema de multilateralismo.

A chanceler alemã, Angela Merkel, também demonstrou preocupação com o desmatamento no Brasil e, assim como Macron, se reuniu com Bolsonaro no G-20. A Macron, Bolsonaro fez o convite para visitar a Amazônia. Com Merkel, o brasileiro falou em uma “psicose ambientalista” contra o Brasil. Os encontros com os dois europeus aconteceram de maneira informal. Horas depois, o acordo comercial entre UE e Mercosul foi assinado em Bruxelas.

Fonte: Estadão Conteúdo

Um comentário sobre “Macron: Compromisso do Brasil sobre clima foi chave para acordo

  1. Edvam

    Então diante desse acordo, o governo brasileiro deve voltar atrás em muitos decretos, armas para caçadores, liberação de agrotóxicos, liberação de desmatamento, falta de insentivo ao IBAMA e outros ligados ao meio ambiente, o governo sempre falou que iria acabar com esses acordos do PT de proteção ambiental.