IF Sertão-PE tem R$ 8 milhões bloqueados por medida do MEC e alerta para consequências

Por meio de nota divulgada nessa sexta-feira, 3, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE) alerta para as consequências do corte de 30% das verbas destinadas às instituições de ensino federais, anunciado esta semana pelo Ministério da Educação.

Segundo o comunicado, o bloqueio representa R$ 8 milhões a menos em recursos de custeio. “Em consequência dessa medida, a previsão de orçamento para o IF Sertão-PE corresponde a menos da metade do que foi liberado há quatro anos, em 2015, quando a Instituição contava com uma estrutura menor para manter o funcionamento institucional”, destaca a nota.

O instituto lembra que ultrapassou o quantitativo de mil servidores em 2017 com a criação de dois novos campi, contribuindo para a oferta de educação pública, gratuita e de qualidade para um número crescente de estudantes. Atualmente o corpo discente soma 10 mil jovens e adultos.

“Com o corte de 30% no orçamento previsto para este ano, os impactos no funcionamento da Instituição prejudicarão não apenas os servidores e estudantes do IF Sertão-PE, mas, sobretudo, a população do sertão pernambucano, diretamente beneficiada pela contribuição dos Institutos Federais para o desenvolvimento regional sustentável”, ressalta a instituição.

A nota ainda informa que, para reverter o bloqueio, o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) está buscando, junto à Assessoria Jurídica, a adoção de medidas legais para impedir que o orçamento continue retido.

Da redação do Blog Alvinho Patriota

4 comentários sobre “IF Sertão-PE tem R$ 8 milhões bloqueados por medida do MEC e alerta para consequências

  1. Machado Freire

    Diante deste flagelo e falta de competência do governo – que nunca entendeu de educação, daria para imaginar, por exemplo, quando será construida a unidade da Univasf em Salgueiro ?

    Apesar dos aplausos, dos “vivas pela conquistas” , a Univasf em Salgueiro começa em pandarecos, com espaço emprestado pela Fachusc, que por falta de instalações , alugou salads para seus alunos no shopping da cidade.

    Precisamos de mais seriedade com as coisas que nos cercam, não é vereadores de Salgueiro ?

    1. S. Carvalho

      Nobre companheiro Machado Freire, agora, com esses cortes orçamentais, não tenha dúvida que nada será feito. Estamos diante de um governo e ministro, que nada entendem de educação, cultura ou conhecimento. Suas metas é o fortalecimento do capitalismo, no qual eles precisam do exercito de “escravos” não mais nem de trabalhadores, porque com essa reforma, essa precarização das universidades publicas e da educação como um todo, é o que vai nos restar, sermos submissos sempre da classe dominante.

  2. Sara

    Como já dizia Paulo Freire, “Seria uma atitude ingênua esperar que as classes dominantes desenvolvessem uma forma de educação que proporcionasse às classes perceber as injustiças sociais de maneira crítica”.
    Assim as medidas são essas, o desmonte na educação sucateando as universidades públicas e os IFs.