Plantão Covif-19: Lista dos serviços essenciais conforme Decreto Presidencial

Governo volta atrás e admite alta de casos da covid-19

Após afirmar que o Brasil parecia caminhar para uma “estabilização” de casos e óbitos da covid-19, o Ministério da Saúde reconheceu nesta quarta-feira, 24, que os números da pandemia seguem crescendo.

“A gente tinha falado que parecia que a curva tenderia a certa estabilização, ou diminuição do número de casos. A gente vê que nesta semana tivemos aumento significativo de casos novos”, disse o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia, em entrevista à imprensa.

Na última quinta-feira, 18, o mesmo secretário havia dito que a curva de casos dava a “entender que estamos entrando em um platô, que a inclinação da curva se encaminha para uma estabilidade”.

A alta foi verificada na semana epidemiológica 25, que se encerrou em 20 de junho, sobre a anterior. Neste período, foram novos 217 mil casos no País, que liderou registros da doença no mundo.

“Tanto na região Sudeste, como Centro-Oeste e Sul, tivemos maior número de casos em relação a semanas epidemiológicas anteriores. Nos mostra atenção que precisamos ter a essa doença a cada semana que passa”, disse Correia.

O Brasil também liderou o número de mortes na semana analisada, com 7.256 novos registros. A cifra não significa que todas as mortes ocorreram nestes dias, mas foram confirmadas e registradas neste intervalo.

Dados do Ministério da Saúde também mostram diminuição de casos em capitais e aumento no interior. Desde a semana epidemiológica 21, que se encerrou em 23 de maio, há mais casos novos fora das capitais.

Fonte: Terra

Um comentário sobre “Governo volta atrás e admite alta de casos da covid-19

  1. Maristella Carvalho

    E o Brasil segue sem rumo. Sem ministro da saúde em pleno uma pandemia, um governo negacionista e sem controle da situação e uma população que parece ter perdido a noção de tudo, pois enquanto os números sobem e o sistema de saúde sobrecarrega, elas fazem filas pra entrar nos shoppings. O Brasil que está mais preocupado com a economia do que com a vida.
    A desigualdade social aumentou significativamente, mas não por conta do isolamento, mas por conta da irresponsabilidade desse governo e de pessoas iguais a ele que não olham a sua volta.