Crivella decreta fim dos serviços públicos durante desfiles na Sapucaí

Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, decretou nesta semana a proibição de órgãos públicos na prestação de serviços gratuitos em eventos privados que tenham venda de ingressos.

A prefeitura, tradicionalmente, arca com os serviços de limpeza (Comlurb), parte da segurança Guarda Municipal), iluminação (Rio Luz), atendimento médico (Secretaria de Saúde) e pelo pessoal que controla o acesso do público nas bilheterias da Sapucaí.

Esta decisão deve afetar os organizadores dos desfiles de Escolas de Samba na Marquês de Sapucaí. De acordo com a prefeitura, o decreto veio após  o Tribunal de Contas do Município (TCM) apontar na semana passada que a gestão Crivella fechou 2018 com um rombo de R$ 3,25 bilhões.

A prefeitura afirmou que continuará a dar apoio para atividades como interdição e limpeza de ruas e o controle urbano no entorno do Sambódromo. De acordo com a Riotur, em 2019, a logística do Sambódromo custou à prefeitura R$ 12 milhões nos seis dias em que ocorreram eventos no Carnaval na Sapucaí.

Fonte:Super Rádio Tupi