Central reclama da arbitragem, mas Náutico vence e está na semifinal do Pernambucano

Recuperando a confiança, o Náutico venceu o Central por 2×1, na Arena de Pernambuco, e conseguiu avançar para a semifinal do Campeonato Pernambucano. A Patativa reclamou de lances polêmicos da arbitragem, em dois pênaltis não marcados, e o Timbu, que teve maior domínio do jogo, conseguiu fazer o suficiente para se classificar. Agora, o próximo compromisso do Alvirrubro será na quarta-feira, às 21h30, contra o Santa Cruz.

O jogo

A primeira etapa começou bastante truncada, com as duas equipes fazendo uma marcação forte, e também teve polêmica. Aos três minutos, o atacante do Central, Leandro Costa, recebeu em profundidade, ganhou na corrida do zagueiro Rafael Ribeiro, foi puxado e caiu dentro da área. Na visão do árbitro, não foi suficiente para a queda e mandou o jogo seguir, causando a indignação dos alvinegros.

O jogo seguiu sem grandes chances. O Náutico apostava em longas trocas de passe, mantendo a posse da bola, em busca de brechas na defesa centralina, o que não conseguiu através dessa estratégia. A partir daí, investiu nas jogadas de linha de fundo e na bola parada. Aos 23 minutos, até balançou as redes com o ponta Erick, mas o árbitro anulou por conta do pé alto do atacante no lance. Aos 31, agora sim, foi para valer. Depois do escanteio, a bola voltou para Jorge Henrique, que cruzou. Rafael Ribeiro dominou e bateu cruzado, abrindo o placar na Arena.

O Central cresceu nos minutos finais do primeiro tempo. Manteve melhor a posse de bola e foi mais agudo nas laterais. Aos 42, o armador Doda aproveitou o buraco na intermediária do Náutico, ajeitou e bateu forte para bela defesa de Jefferson, que mandou para escanteio. Na sequência, aos 44, o camisa 10 da Patativa bateu escanteio, a zaga cortou e voltou pra ele que, com pouco ângulo, bateu com efeito e a bola raspou o travessão alvirrubro. Quase um golaço.

Segundo tempo

O duelo retornou de maneira semelhante ao da primeira etapa. Mais polêmica. O atacante Adailson tabelou e receberia a bola nas costas da zaga. Mas ele acabou sofrendo um leve toque de Hereda e prendeu o tornozelo no gramado. O árbitro mais uma vez mandou o lance seguir e o Alvinegro reclamou bastante. O Central tentava pressionar, mas na primeira boa chegada do Náutico, a vantagem aumentou. Aos oito minutos, Jorge Henrique bateu escanteio e o volante Gustavo Henrique acabou marcando contra.

Também através de um tiro de canto, e contra a própria meta, veio o gol da Patativa. Aos 14, Doda fez a cobrança, a bola desviou na primeira trave, acabou batendo em Rafael Ribeiro e entrou na barra. O Náutico passou a marcar um pouco mais atrás e esperava as investidas do time caruaruense. Com os espaços na frente da área melhores preenchidos, o Timbu deu poucos espaços e restava ao Central tentar o chuveirinho na área, através de cruzamentos ou na bola parada, que não trouxeram resultado.

Apresentando melhoras com relação ao jogo contra o Bahia, o Timbu cresceu de rendimento. Mas ainda ficou a sensação de que algumas peças podem render mais, principalmente o trio ofensivo. Por outro lado, vale destacar a boa partida feita pelo experiente Jorge Henrique, melhor jogador do Náutico no duelo.

Fonte: JC Online