Plantão Covif-19: Lista dos serviços essenciais conforme Decreto Presidencial

Caso de enfermeira que espancou cachorro provoca onda de notícias falsas na internet

A polêmica na internet provocada pelas cenas da agressão cometida por uma enfermeira contra um cachorro da raça yorkshire em Formosa (GO) está provocando, segundo protetores de animais, uma onda de perfis e notícias falsas nas redes sociais. Até mesmo a veracidade do perfil atribuído à enfermeira Camila Corrêa no Twitter é questionada.

No suposto perfil de Camila, a enfermeira rebatia os comentários com mensagens como: “#coisasprasefazercomquemmatacachorro ?? Alem de que o Twitter nunca conseguiu nada! Podem, xingar, denunciar, nada vai acontecer”. Em outro momento, o perfil postou uma mensagem mais ácida aos internautas: “Vocês dizem que vão me matar. É certo matar pessoas?”.

O integrante de uma ONG de proteção a animais, Daniel Guth, escreveu em seu Twitter, na noite do sábado (17), que o perfil da enfermeira no microblog é falso. “Num tuíte antigo descobrimos que ela se chamava @EstherEloise. Achamos um RT de uma amiga, fomos ao FB [Facebook] dela e encontramos a Esther”.

A reportagem do R7 procurou, mas não há informações sobre Esther Eloise, a menina que teria criado o perfil “fake” no Twitter. O microblog permite que seus usuários mudem seus apelidos a qualquer momento. Guth diz que enviou uma mensagem para a menina em outra rede social, mas ela não respondeu.

“Eu mandei msg [mensagem] pelo Facebook. Não respondeu. Acho q todos deveriam fazer o mesmo pra ela ‘se tocar’”.

Fonte: R7