Renan Calheiros diz que Temer deve ‘facilitar saída’ da Presidência

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), postou nesta segunda-feira uma mensagem enigmática nas redes sociais na qual, segundo confirmou posteriormente, defende a saída do presidente Michel Temer do cargo e a realização de eleições indiretas. Para Renan, o país não aguentará passar mais uma vez por um processo de impeachment e, por este motivo, Temer deveria facilitar a própria sucessão.

Por meio de assessoria, Renan afirmou que quer uma eleição de acordo com o que prevê a Constituição e que Temer deve entender a necessidade de sua saída da Presidência. “Temer deve facilitar a saída dele e compreender que já cumpriu seu papel. Impeachment, o Brasil não aguenta mais. Com o processo de Dilma Rousseff, foram dois anos sangrando”, disse.

No vídeo postado em suas redes sociais ontem, Renan classifica de “equívoco” a ação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pela apresentação de um pedido de impeachment contra o presidente Michel Temer. O senador defende ainda que é preciso “construir uma saída” e que o presidente deve ajudar neste processo. Mas, Renan não foi claro ao apontar que saída seria esta, com ou sem Michel Temer, o que suscitou dúvidas sobre sua posição e o levou a confirmar que defende a saída de Temer.

“A OAB se equivoca ao pedir o impeachment. O impeachment, como se sabe, não traz consigo uma solução para a crise. Pior, pode agravá-la. Falo isso com a responsabilidade de quem conduziu o processo anterior. Precisamos construir uma saída, na qual se garanta eleições gerais em 2018 e uma assembleia nacional constituinte. Fora isso, é o imponderável. Tenho absoluta convicção que o presidente da República compreenderá seu papel e ajudará na construção de uma saída”, afirma Renan.

De forma reservada, o líder do PMDB já começou a pensar em nomes para substituir Temer. Segundo interlocutores de Renan, ele começará a se reunir informalmente com senadores para debater sobre possíveis candidatos para o cargo. A avaliação de Renan é que dificilmente o presidente irá conseguir se manter na cadeira até a próxima semana.

Neste fim de semana, por 25 votos a um, a OAB decidiu pedir o impeachment de Temer. Os conselheiros federais consideraram, após mais de sete horas ininterruptas de discussão, que as condutas do presidente reveladas pelo empresário Joesley Batista, do grupo empresarial JBS, podem configurar crime de responsabilidade. Apenas o Amapá votou contra o pedido de impedimento. E a bancada do Acre estava ausente.

A OAB, que deve protocolar o pedido de impeachment nos próximos dias, aponta como indício de crime de responsabilidade o fato de Temer ter ouvido de Joesley que estava comprando juízes e um procurador da República e não ter comunicado às autoridades. Ao contrário, o presidente assente com um “ótimo, ótimo” nas gravações feitas pelo empresário.

Fonte: Época

Quem nasceu entre setembro e dezembro pode não sacar o FGTS

A medida provisória (MP) que autorizou o saque do dinheiro de contas inativas do FGTS corre o risco de não ser votada a tempo pelo Congresso Nacional, em razão da crise política que atinge o governo após o presidente Michel Temer ser atingido pela delação do grupo JBS. A medida perde a validade na próxima semana e, caso não seja votada pela Câmara e Senado antes disso, trabalhadores nascidos entre setembro e dezembro perderão o direito de sacar os recursos.

A MP perde a validade em 1º de junho. O Palácio do Planalto e o líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), dizem que há acordo para votar a proposta nas duas casas legislativas antes disso.

Em campanha pela renúncia de Temer e por eleições diretas para presidente, porém, a oposição nega acordo e diz que vai obstruir a votação. “Não tem acordo sobre nada. O País está em crise. Vamos obstruir”, afirmou o líder da oposição na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE).

A única proposta que parlamentares da oposição dizem que não vão obstruir é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de autoria do deputado Miro Teixeira (Rede-RJ) que, na prática, autoriza eleições diretas para presidente, caso Temer seja cassado, renuncie ou sofra impeachment.

A matéria ainda está na fase inicial de tramitação na Câmara. A previsão é de que a admissibilidade da PEC seja votada nesta terça-feira (23), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa.

Na Câmara, a MP do FGTS está prevista para ser votada a partir de quarta-feira. Nesta terça-feira, a pauta do plenário da Casa tem como único ponto o projeto da convalidação de incentivos fiscais concedidos por Estados a empresas sem autorização do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), a chamada guerra fiscal. No dia seguinte, começam a votação de pelo menos oito medidas provisórias. A MP do FGTS é o quinto item da pauta, que só pode ser revertida por acordo.

A MP foi enviada pelo governo em 23 de dezembro do ano passado. Ela autoriza o saque de contas inativas do fundo, desde que o afastamento do emprego tenha ocorrido antes de 31 de dezembro de 2015. O dinheiro está sendo liberado de acordo com a data de aniversário dos trabalhadores que têm direito ao benefício. Já foram liberados o dinheiro dos nascidos entre janeiro e agosto. A próxima liberação prevista será em 16 de junho, para nascidos entre setembro e novembro, e 14 de julho, em dezembro.

O governo espera que os saques injetem pelo menos R$ 29 bilhões na economia brasileira. A Caixa Econômica Federal informou que, até 16 de maio, já liberou R$ 24,4 bilhões para trabalhadores nascidos entre janeiro e agosto, 84,3% do total inicialmente previsto. O presidente do banco, Gilberto Occhi, acredita que, mantido o ritmo atual de saques, o total de recursos liberados podem chegar a R$ 36 bilhões, o equivalente a um impacto de 0,5% no PIB do país.

Fonte: O Tempo

Ex-presidente Lula é denunciado na Lava Jato por caso envolvendo sítio em Atibaia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciado nesta segunda-feira (22), na Operação Lava Jato, em função das investigações que envolvem um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo. A denúncia foi apresentada pelos procuradores que compõem a força-tarefa da Lava Jato, à Justiça Federal, em Curitiba.

Esta é a terceira denúncia que o Ministério Público Federal (MPF) apresenta à Justiça, em Curitiba, contra Lula. Nas outras ações penais, ele é acusado de ter, supostamente, recebido propina das construtoras OAS e Odebrecht.

Caberá ao juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações penais da Lava Jato, definir se recebe ou não a denúncia do MPF. Se ele aceitar, o ex-presidente passará a ser réu também neste novo processo.

Além de Lula, outras 12 pessoas são citadas neste processo. Todos são acusados pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção ativa e passiva.

Fonte: G1 Paraná

Explosões na saída do show de Ariana Grande na Inglaterra deixam mortos e feridos

Duas explosões ocorreram nesta segunda-feira (22) à noite na Manchester Arena, na cidade de Manchester, na Inglerra, durante a saída do show da cantora americana Ariana Grande. A polícia confirmou até o momento 19 mortos e pelo menos 50 feridos e diz que caso é tratado como atentado terrorista.

Há relatos de pânico nas redes sociais dentro e fora do local do show. A polícia local pediu que a população evite ir até a região. A Manchester Arena é um ginásio usado para shows e eventos esportivos com capacidade para 21 mil pessoas.

Uma jovem que estava no show, identificada somente como Hannah, afirmou ao “The Guardian” que ouviu “uma explosão muito alta, ouvida de dentro da arena”. “Todo mundo gritava e tentava sair do local”. 

Jade Baynes, 18, foi orientada pela polícia a correr depois de deixar o local do show. Ela contou ao jornal que ouviu ruídos altos que pareciam como tiros depois do fim da apresentação de Ariana. “Teve um barulho alto e uma luz e todo mundo tentou sair. Um mensagem pelo alarme começou a dizer para todos ficarem calmos, mas saírem do local o mais rápido possível”.

Segundo a rede NBC, Ariana deixou o palco chorando abraçada a um fotógrafo e amigo. Um representante da gravadora de Ariana disse à revista “Variety” que ela está “ok”. 

Suzy Mitchell, de 26 anos, que mora em frente à casa do show, relatou um enorme estrondo que deixou seu apartamento tremendo. Ela disse à agência PA: “Ouvi um enorme estrondo da minha cama, e fui para a frente do meus apartamento e vi todo mundo fugindo em grandes grupos.O estouro foi tão grande que ouvi do meu quarto que está na parte de trás dos blocos de apartamentos.

Fonte: Correio 24 Horas

Contratado por Temer, Molina diz que áudio de Batista é ‘prova imprestável’

Advogados do presidente Michel Temer encomendaram análise do perito Ricardo Molina sobre o grampo feito pelo empresário Joesley Batista, da JBS. O laudo afirma que a gravação é “prova imprestável para fins judiciais”.

O perito diz que o áudio contém dezenas de pontos de descontinuidades, pontos de clipping e ruídos de mascaramentos. “Em qualquer processo corriqueiro esse tipo de gravação é descartado por possuir demasiados indícios de possível edição.”

Segundo Molina, para além do que ele chama de “indícios muito consistentes de edição”, “vale lembrar que grande parte da gravação, mais especialmente no que diz respeito às falas do presidente, é ininteligível, dificultando, quando não impossibilitando a definição inequívoca dos contextos de cada fragmento”.

A reportagem teve acesso a uma versão preliminar do laudo de Molina. A versão final do estudo foi apresentado nesta segunda (22) pelos advogados do presidente e o próprio perito.

Na última sexta (19), a Folha de S.Paulo publicou laudo do perito Ricardo Caires dos Santo, que apontava mais de 50 pontos de edição no grampo feito por Joesley.

O jornal “O Estado de S. Paulo” também encomendou perícia e publicou que o especialista encontrou 14 pontos de edição no áudio.

Indício mais alardeado do arsenal da JBS contra o presidente, o áudio de Joesley agora será periciado pela Polícia Federal. O órgão diz que não há prazo para concluir a análise.

Formado em fonética forense na Unicamp, Molina fez laudos como perito em vários casos de grande repercussão, como a análise de uma gravação em 1991 em que Antonio Magri, ministro do Trabalho no governo Collor, admitia ter recebido propina e a investigação da morte de PC Farias. Ele é especializado em perícias para atestar a autenticidade de gravações de áudio e vídeo, análise de documentos e de evidências criminais.

Fonte: Folhapress

Planalto vive semana decisiva para definir a permanência de Temer

Foi mais um domingo de longas reuniões, intermináveis conversas e avaliações com aliados próximos. A crise que não esfria,o que impôs Temer a fazer dois pronunciamentos nas últimas 72 horas, ameaça a estabilidade.

Disposto a lutar pelo cargo com todas as forças de que dispõe o governo, o presidente Michel Temer tenta matar no nascedouro a investigação aberta contra ele pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com autorização do ministro-relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin. Temer pleiteia que a gravação clandestina feita pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, durante conversa privada no Palácio do Jaburu, seja desconsiderada, alegando que a mesma foi obtida de forma ilícita e os áudios foram fraudados. Se a prova for anulada, não haverá motivo para a investigação.

Essa é uma aposta decisiva para esvaziar a crise, pois uma decisão favorável do Supremo Tribunal Federal, na próxima quarta-feira, serviria para estabilizar a base de apoio do governo no Congresso. Ontem à noite, o advogado do presidente Michel Temer também protocolou um pedido para que a Polícia Federal esclareça 15 pontos sobre o áudio da conversa entre o presidente e o dono do frigorífico JBS, Joesley Batista. Segundo Gustavo Guedes, é preciso saber se há edições no áudio, como cortes, e saber se as frases foram alteradas da sequência. Laudos revelados pela imprensa sugerem que o áudio sofreu dezenas de edições. A defesa da JBS negou que o áudio da conversa tenha sido adulterado.

Os partidos vão aguardar a decisão do Supremo para tomar uma decisão, pois avaliam que a situação ainda é muito grave e somente o embargo das investigações pode estancar a crise. A posição da maioria dos ministros da Corte é uma grande incógnita. A votação dependerá da robustez das provas apresentadas pelo Ministério Público.

Reuniões

No fim de semana, houve muitas conversas e reuniões reservadas entre os caciques dos partidos aliados, que estão divididos quanto à permanência no governo. O Palácio do Planalto conseguiu impedir que  PSDB e DEM reunissem suas respectivas executivas para discutir o desembarque do governo. O PPS e o PSB já saíram do governo. No sábado à tarde, o secretário de Governo, ministro Antônio Imbassahy (PSDB), chegou a convidar ministros e líderes dos partidos para um jantar na noite de ontem no Palácio da Alvorada, mas o que seria um gesto formal de apoio dos aliados virou uma reunião informal. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, minimizou o encontro: “Não tem jantar, nem solenidade. Quem estiver aqui em Brasília vai passar pelo Palácio da Alvorada para conversar.”

Temer formou um estado-maior para gerenciar a crise, com Padilha e Imbassay e os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), Henrique Meirelles (Fazenda) e Raul Jungmann (Defesa). Ontem, no Alvorada, também recebeu o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Darcísio Perondi (PMDB-RS), Rogério Rosso (PSD-DF) e Carlos Marun (PMDB-RS); e os líderes do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), e no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). Discutiu a agenda da Câmara, onde pretende manter a iniciativa política, aprovando medidas provisórias. “O jantar foi ótimo, Temer demonstrou muita confiança”, disse Rosso.

A votação da reforma da Previdência, porém, continua em suspense. Também dialogou com o presidente do Senado, Eunício de Oliveira (PMDB-CE), para manter na pauta de votação do Senadod o segundo turno do foro privilegiado. “Ele disse que não renuncia e vai até o fim do governo”, assegurou o líder na Câmara, Agnaldo Ribeiro (PP-PB).

Fonte: Correio Braziliense

Oito pessoas são detidas por uso de celular e com suposto gabarito no concurso da PM-PI

Oito pessoas foram detidas pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) por uso de celulares e suposto gabarito durante a aplicação das provas do concurso da Polícia Militar do Piauí, na manhã deste domingo (21), em Teresina. A informação foi confirmada ao G1 pelo secretário estadual de segurança Fábio Abreu.

“Estes candidatos não foram presos, mas apenas detidos, pois ainda estamos apurando se houve tentativa de fraude por parte deles. Eles foram flagrados em vários locais de aplicação de prova por agentes da Polícia Civil disfarçados que participavam do concurso e encaminhados para a sede do Greco. Até o momento permanece a lisura do certame”, declarou.

Ainda conforme o secretário, o suposto gabarito com as respostas das provas será analisado com o oficial, no entanto, descartou a possibilidade de fraude no concurso. Para ele, estelionatários estariam aproveitando a fragilidade de alguns candidatos para vender gabaritos falsos.

Um total de 32.010 candidatos concorreram neste domingo (21) as 480 vagas ofertadas no concurso público da Polícia Militar do Piauí. A aplicação da prova objetiva iniciou às 9h e encerrou às 13h. A organização vetou aos candidatos o acesso aos locais de prova portando celulares e delimitou a realização do certame somente para Teresina, como medida de segurança.

Fonte: G1

Coreia do Norte faz novo teste com míssil de médio alcance neste domingo

Em comunicado enviado neste domingo (21) a Coréia do Sul afirmou que a Coréia do Norte realizou novo teste com míssil de longo alcance. O teste foi realizado no sul do país e percorreu a distância de 500 quilômetros. O novo teste ocorre uma semana após do disparo de um projétil balístico de médio alcance. Segundo a agência de notícias EFE, o novo teste aumentou a tensão na península, informou em nota a Coreia do Sul.

“A Coreia do Norte disparou um míssil não identificado, a partir de um ponto perto de Pukchang, na província de Pyongan Sul”, anunciou o Estado Maior Conjunto (JCS), em breve comunicado. O teste ocorreu às 16h59 (horário local, 4h59 de Brasília) e o projétil voou cerca de 500 quilômetros para o Leste, por isso teria caído no Mar do Japão.

Segundo informações dadas à agência Yonhap pelos porta-vozes da JCS, peritos estão analisando a trajetória no míssil disparado neste domingo (21) e até o presente momento descartaram ser um míssil balístico intercontinental.

Último teste

Em uma semana esse é o segundo teste de míssil feito pela Coreia do Norte. Na semana passada um foi lançado o Hwasong 12, um novo míssil de médio alcance que mostrou importantes avanços para o regime de Kim Jong-un (o líder norte-coreano) desenvolver no futuro um ICBM, com ogiva nuclear, que possa chegar aos Estados Unidos.

Fonte: Último Segundo

Randolfe pede ao STF que impeça o Senado de votar situação de Aécio

A possibilidade de o Senado autorizar que o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) descumpra decisão do Supremo Tribunal, que o suspendeu de atuar como parlamentar por suspeitas de crimes cometidos pelo político, motivou o colega de casa do tucano Randolfe Rodrigues a acionar a corte. O relator da ação será o ministro Dias Toffoli.

Ele pede na ação que o STF impeça o Senado de votar a situação de Aécio Neves, e que também defina que a deliberação do assunto na Casa ocorra apenas “pela maioria absoluta do Senado Federal, em votação ostensiva e nominal, mediante impulsão exclusiva da sua Mesa Diretora ou de partido político representado no Congresso Nacional, vendando-se a apresentação de tal pedido diretamente por terceiros, inclusive da Eminente Defesa do citado parlamentar”.

Para os autores da peça, os advogados Danilo Morais dos Santos, Raphael Sodré Cittadino e Priscilla Sodré Pereira, “a provável decisão da Mesa [pelo descumprimento da decisão do STF] colorará em cheque a autoridade das decisões do Supremo Tribunal Federal, solapando o país em um quadro de graves incertezas, fora dos trilhos da solução constitucionalmente adequada, em um cenário de grave irreversibilidade”.

R$ 2 milhões
Aécio Neves foi flagrado em conversa gravada pelo dono da JBS Joesley Batista pedindo R$ 2 milhões ao empresário alegando que estaria com dificuldade para pagar sua defesa. Mas essa história foi desmentida, pois um repasse de R$ 500 mil ao primo de Aécio, Frederico Pacheco, foi rastreado.

Assim, a Polícia Federal verificou que o dinheiro, na verdade, foi parar em Belo Horizonte, na empresa de Gustavo Perrella, filho do senador Zeze Perrella (PMDB-MG), enquanto o escritório que defende Aécio Neves fica em São Paulo.

Fonte: Consultor Jurídico

Temer reúne ministros e base aliada e pede que Congresso trabalhe normalmente

Quatro dias após as primeiras informações da delação do empresário Joesley Batista, o presidente Michel Temer se reuniu na noite deste domingo (21), no Palácio Alvorada, com ministros e líderes do governo no Congresso Nacional. 

De acordo com o líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Temer pediu que o Poder Legislativo continue trabalhando na sua “normalidade”. Segundo ele, o presidente novamente se mostrou indignado com as denúncias e manifestou confiança de que vai “superar o momento”.

Ministros

“A grande resposta que podemos dar é com as medidas que são positivas para o país. Todos os partidos da base estiveram reafirmando apoio a Temer. Quando não estava o líder, estava o presidente ou um ministro representando o partido”, afirmou, acrescentando que os presentes externalizaram seu “compromisso com o país”.

Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), Henrique Meirelles (Fazenda), Helder Barbalho (Integração Nacional), Ronaldo Nogueira (Trabalho), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia) e Raul Jungmann (Defesa) participaram do encontro.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), chegou ao Palácio da Alvorada por volta de 20h, assim como o líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE). Segundo Moura, o fato de o Planalto ter agendado inicialmente um jantar com lideranças partidárias não foi um recuo.

“Tratou-se de uma reunião como as demais e que têm ocorrido desde quarta-feira. No momento certo, vamos convocar a base para uma reunião formal”, afirmou, sem informar a data.

Fonte: Agência Brasil

“Operação foi 1º primeiro passo para acabar com Cracolândia”

O prefeito de São Paulo, João Doria, e o governador do estado, Geraldo Alckmin, visitaram hoje (21) a região da Cracolândia, na região da Luz, no centro da capital paulista, logo após uma grande operação policial deflagrada na manhã deste domingo para combater o tráfico. A operação foi realizada  com cerca de 900 policiais civis e militares. Segundo o governador, a ação”foi o primeiro passo para acabar com a Cracolândia”.

“Tivemos aqui o trabalho das polícias Civil e Militar, com a prisão de traficantes e apreensão de armas. Tivemos armamento e munição apreendidos e drogas. O primeiro trabalho foi esse, policial. Isso vai ajudar a cidade inteira, porque esses traficantes abastecem também outros pontos de droga na cidade. O segundo [passo], estabilizado e com segurança, é o trabalho social e de saúde”, adiantou o governador.

De acordo com o prefeito, a ação foi planejada entre as duas esferas de poder. “A primeira ação foi policial, uma ação preventiva, deliberada e com autorização da Justiça para aprisionamento de traficantes. A segunda ação será medicinal, de acolhimento daqueles que são psico-dependentes. A terceira ação será social, de acolhimento das pessoas em situação de rua e que não são psico-dependentes. E a quarta será de reurbanização dessa área, para que ela não volte a ser utilizada por traficantes”, disse Doria.

Segundo o prefeito, o projeto de reurbanização do local será anunciado em breve, mas se refere à utilização de áreas públicas do estado e do município na região da Luz. “Teremos aqui um programa de habitação popular, uma escola pública, um CEU (Centro Educacional Unificado) e áreas construídas pelo setor privado.”

“Estamos aqui construindo 100 apartamentos. E aqui, onde era a antiga rodoviária, em frente a Sala São Paulo, [serão construídos] 1,3 mil apartamentos. Vamos trazer de volta as pessoas para morarem aqui na região. E vai poder participar do sorteio quem tenha pelo menos uma pessoa da família que trabalhe na região central, de modo a aproximar o trabalho da moradia”, informou Alckmin.

Fonte: Terra

Top 10: Matérias mais acessadas de 15/05/2017 a 19/05/2017

1 – “Foi um baque muito grande”, diz esposa de Elvis sobre gravidez de risco

2 – Esposa de jogador do Salgueiro pede ajuda para salvar a vida da filha

3 – Todos por Lara: Jogadores do Salgueiro e torcedores arrecadam dinheiro no trânsito da cidade

4 – Pintor é morto a tiros no bairro da Bomba em Salgueiro

5 – Acidente de carro mata três garotas no município de Exu

6 – Efeito dominó: Creuza Pereira pode perder cadeira na Câmara dos Deputados a qualquer momento

7 – Edson Lima precisará reverter cirurgia de redução de estômago após perder muito peso

8 – Estabelecimento comercial é furtado na Rua 27 do bairro Cohab

9 – Ex-prefeito de Salgueiro diz que não cometeu irregularidade ao fazer compensações tributárias

10 – Atrações oficiais do São João de Petrolina são divulgadas

Uma república de cabeça para baixo; eles roubaram o Brasil sem piedade!

Por Machado Freire

O que essas quadrilhas que assumiram o poder no Brasil (imaginem, através do voto popular) fizeram contra a maioria do nosso povo é algo digno de uma profunda reflexão. E de uma resposta moral à altura da dignidade humana!

Eles fomentaram as falcatruas da forma mais cavilosa e enganadora que se pode imaginar: engordavam o patrimônio das empresas ( só para citar duas, JBS e Odebrecht) e passavam a exigir muito dinheiro para se manter no poder através de campanhas eleitorais milionárias. Na base do “é dando que se recebe” e o “crime compensa”.

Os conluios (mostrados nos áudios e vídeos dos delatores) se espalhavam pelo Brasil afora e atingiam vários países, onde eram “montadas” empresas – sucursais e filiais, dos conglomerados com origem no Brasil. A JBS era um simples açougue e se agigantou de forma estratosférica, com representação em vários países, inclusive Estados Unidos, onde moram os bandidos mais organizados do mundo que não irão presos nem usarão tornozeleiras. Vão pagar, apenas, R$ 225 milhões!

Já a Odebrechet, transformou-se na maior construtora do país e passou a demandar contratos internacionais, inclusive em Cuba, republiqueta das mais pobres do mundo. Tava lá o dedo do governo Lula sob o falso argumento de uma generosidade mais do que questionável. E passou-se a construir obras e executar projetos importantes na África.

O dinheiro roubado do nosso País , fruto do trabalho de pais e mães de família, serviu para manter de pé os projetos de algumas dezenas de canalhas travestidos de homens e mulheres com representação no Congresso Nacional, Assembleias Legislativas, Prefeituras, etc.. Aqui no Nordeste, os pobres se convenceram de que “nunca vivemos tão bem, pois recebemos o Bolsa Família e conseguimos comprar uma moto a prestação…”.

As falsas lideranças nacionais e regionais faziam questão de ser chamados de esquerdistas comprometidas com o futuro da nossa juventude, cuja maioria, hoje, nunca leu um livro e não sabe quem foi Raquel de Queiroz, Castro Alves, José Lins do Rego. Nem mesmo o pernambucano Gilberto Freyre. Muitos continuam fazendo o percurso de casa para a escola (e vice-versa) em paus de arara, enquanto organizações bandidas consomem as verbas carimbadas do transporte escolar. Hoje, a violência se estende Brasil afora e é incrementada pelas drogas colocam a morte dos jovens em primeiro lugar.

Foram mais de 13 anos – do inicio da administração (nós, conosco) de Lula, até o final do desgoverno de sua sucessora, Dilma e, finalmente, do período tumultuado de Michel Temer. É muito tempo para preparação, organização e manutenção de quadrilhas que envolveram, inclusive, setores ligados aos mais diversos segmentos, principalmente os chamados agentes públicos, que são pagos com o suor do rosto dos contribuintes. É muito difícil não termos um “núcleo” bandido fazendo negócios escusos nas repartições oficiais, da pequenininha prefeitura no interior do Piaui até o salão verde – azul, amarelo… do Congresso Nacional, salas e gabinetes de ministérios e do Palácio do Planalto. Tem bandido em todo lugar!

Nem precisa dizer que ministros de estado, deputados, senadores e governadores simplesmente deixaram de considerar o compromisso constitucional, ético e moral de trabalhar em defesa da Nação e passaram a dilapidar, de forma vergonhosa , o patrimônio nacional: A empresa tal vai ganhar esse contrato, mas tem que deixar R$ 10 milhões para o deputado fulano de tal, R$ 20 milhões para o senador beltrano e R$ 5 milhões para governador do Rio de Janeiro, etc, etc.

Deve-se lembrar, a propósito, que o Brasil foi empurrado a sediar a Copa do Mundo. Tinha porque tinha que realizar o maior certame internacional de todos os tempos, para dizer aos países do primeiro mundo que este é o “país do futebol” e da modernidade, que levou de 7 a 1, foi humilhado e continua endividado e envergonhado perante o mundo. Se existe castigo, este foi um do tipo de “azar da cabrinha preta” !

Nesse período de “apagão moral e ético”, aconteceu a maior roubalheira de todos os tempos, com o envolvimento de empresas, agentes públicos em vários estados, surrupiado o erário (o nosso dinheiro ) e muitas obras/projetos apelidadas de “Arena” passaram a ser subutilizadas, mais parecendo elefantes brancos. Deixaram despesas enormes para sua manutenção por parte dos governos estaduais, como é o caso da Arena Pernambuco.

Foram viabilizados muitos negócios imorais e atos praticados por bandidos travestidos de “homens públicos”, deles que se encontram presos e outros que se valem das fortunas (é o caso dos donos da JBS, por exemplo) para fazer uma tal “delação premiada” onde apresentam em depoimento ao Ministério Público, políticos apontados como seus “achacadores”. Os caras da JBS afirmam ter financiado campanhas de quase 2 mil políticos com um aporte de R$ 400 milhões, dinheiro que lhes garantiriam vantagens futuras avaliadas em alguns bilhões. Eles nasceram pobres e hoje são bilionários, “sem medo de ser felizes”, graças a um BNDES e amizades com os poderosos que se tornaram gestores com o voto popular, a exemplo de Michel Temer, entre tantas outras figuras importantes da política nacional. Neste caso, o voto teve o efeito e consequências invertidas.

Para concluir “este vale de lágrimas”, coloco abaixo o final de um belo artigo da lavra do ex-presidente da Câmara Municipal de Vereadores e da OAB de Arcoverde, Edilson Xavier:

“Observem o que nos restará para o voto para presidente: uma evangélica fanática, como Marina Silva, um desajustado como Ciro Gomes, um riquinho de São Paulo, João Dória, e agora pelas pesquisas aquele sempre gostou de golpe militar, o Jair Bolsonaro. Pelo jeito, salve-se quem puder porque com a classe política que temos hoje o país permanecerá nesse imenso atoleiro moral.”

Fachin envia gravação de conversa de Temer com Joesley para perícia da PF

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, deferiu o pedido de perícia nos arquivos de áudio entregues pelo empresário Joesley Batista, da JBS, à Procuradoria-Geral da República. As gravações integram o inquérito aberto pelo STF contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva e organização criminosa. Ele havia pedido perícia nas provas e suspensão do andamento do inquérito. O pedido de suspensão foi enviado à presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, que já informou que levará o caso ao Plenário na quarta-feira (24/5).

Com a decisão, os arquivos de áudio serão encaminhados à perícia da Polícia Federal, que apresentará suas conclusões ao ministro Fachin.

Temer pediu perícia nos arquivos depois que avaliação feita a pedido de sua defesa concluiu que a gravação sofreu edição antes de ser entregue à PGR. A gravação mostra conversa entre Temer e Joesley na qual o empresário relata uma série de crimes que cometeu e vinha cometendo. Para a PGR, há crime no fato de Temer não ter tomado qualquer atitude em relação ao que ouvia.

A PGR também enviou manifestação ao Supremo defendendo as provas apresentadas. Em comunicado à imprensa, o órgão informou que “a gravação não contém qualquer mácula que comprometa a essência do diálogo”. Na manifestação ao STF, o procurador-geral, Rodrigo Janot, afirma que o material passou por “análise preliminar” e foi constatado que a gravação é “audível, inteligível e apresenta uma sequência lógica e coerente, com características iniciais de confiabilidade”.

A PGR também disse que não se opõe à perícia, mas é contra a suspensão do andamento do processo. Enquanto o Plenário do Supremo não discutir a questão, o inquérito segue tramitando normalmente.

Fonte: Consultor Jurídico