Plantão Covif-19: Lista dos serviços essenciais conforme Decreto Presidencial

Top 10: Notícias mais acessadas de 01/06/2020 a 05/06/2020

1 – Prefeitura de Salgueiro publica novo decreto prorrogando a suspensão do comércio e serviços não essenciais

2 – Reabertura gradual do comércio de Salgueiro inicia no dia 8 de junho, seguindo medidas do Governo de Pernambuco

3 – Salgueiro zera casos suspeitos da Covid-19 pela primeira vez desde março

4 – Salgueiro registra um caso da Covid-19 pelo segundo dia consecutivo e número de casos suspeitos caem para dois

5 – Prefeito de Salgueiro diz que dinheiro para possível São João virtual não sairá dos cofres públicos

6 – Bairros Prado e Bomba concentram quase 50% dos casos do novo coronavírus confirmados em Salgueiro

7 – Polícia Militar detém homem que estava caminhando nu no bairro Santa Margarida, em Salgueiro

8 – Assaltante rouba celular em estabelecimento comercial de Salgueiro armado com faca

9 – Túnel de desinfecção é novidade no combate ao coronavírus em Salgueiro

10 – Município de Exu chega a junho sem registro de casos confirmados da Covid-19

Com mais 850 casos e 65 mortes, PE soma 39.361 confirmações e 3.270 óbitos por Covid-19

Mais 850 casos e 65 óbitos por Covid-19 foram registrados em Pernambuco neste sábado (6), de acordo com o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES). Com isso, o estado chegou a 39.361 confirmações e 3.270 mortes por essa doença causada pelo novo coronavírus. Esses registros começaram em março, com o início da pandemia.

Dessas novas confirmações, 199 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 651 como leves. Ao todo, até este sábado, Pernambuco contabilizava 39.361 casos da Covid-19, sendo 15.696 graves e 23.665 leves.

A taxa global de ocupação de leitos estava, neste sábado, segundo o boletim diário da Secretaria Estadual de Saúde, em 76%. Havia pacientes com Covid-19 em 97% das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e em 63% das enfermarias.

Além disso, o boletim registrou 21.485 pessoas curadas da Covid-19 no Estado. Desse total, 5.854 são de casos graves e 15.631 casos leves.

Até este sábado, os casos graves confirmados da doença estavam distribuídos por 164 municípios pernambucanos, além do Arquipélago de Fernando de Noronha e da ocorrência de pacientes em outros estados e países.

Fonte: G1

Após reduzir boletim diário, governo Bolsonaro retira dados acumulados da Covid-19 do site

O Ministério da Saúde retirou, do site oficial sobre a pandemia do novo coronavírus, os dados acumulados sobre o número de infectados e mortos pela Covid-19. Desde a tarde deste sábado (6), o portal exibe apenas os resultados das últimas 24 horas.

A mudança segue o mesmo protocolo que foi adotado para o boletim diário de divulgação. O documento, que trazia a atualização das últimas 24 horas e os números consolidados, foi divulgado na sexta (5) com menos informações.

Com a mudança, o governo Jair Bolsonaro tenta esconder que o Brasil já atingiu a casa de 35.456 mortes e 659.114 casos confirmados da Covid-19. Os números foram tabelados neste sábado pelo G1, em um levantamento exclusivo junto às secretarias estaduais de Saúde.

Às 18h deste sábado, o portal oficial do Ministério da Saúde apresentava apenas os números reunidos até as 22h de sexta. Apenas nas 24 horas anteriores a esse boletim, foram registrados 30.830 novos contaminados e 1.005 mortos.

Em uma rede social, Jair Bolsonaro disse que “o Ministério da Saúde adequou a divulgação dos dados sobre casos e mortes relacionados ao covid-19.” Mas, nem o presidente, nem o Ministério da Saúde informaram qual era o problema, do ponto de vista científico, da divulgação dos números totais.

Fonte: G1

Crivella diz que flexibilização do isolamento ainda não é válida na cidade do Rio de Janeiro

O prefeito Marcelo Crivella disse na tarde deste sábado, dia 6, que nada muda no decreto de isolamento imposto como prevenção contra o coronavírus, pelo menos até este domingo. Haverá uma reunião com o Comitê científico e o Conselho de crise para deliberarem se mantêm as regras atuais na cidade ou se seguirão alguma determinação do governador Wilson Witzel.

— São recomendações do governador e não determinações. As curvas têm sido favoráveis porque há um afastamento social que mantemos nos níveis atuais. É preciso ter uma noção disso. Se não mantivermos esse afastamento, o que tudo indica é que podemos voltar aos níveis anteriores. Não é o desejo de ninguém. Se nós voltarmos aos parâmetros piores em lugar de retomarmos à normalidade, teremos que voltar atrás. E aí o processso todo se atrapalha. Pelo menos, até amanhã, nada muda — disse Crivella.

O prefeito acrescentou que concorda com o governador em liberar a abertura das igrejas, porque o risco de contágio é pequeno, já que os fiéis seguem a orientação de padres e pastores. A regra só não está valendo ainda porque a justiça tem que avaliar informações repassadas pela prefeitura para entender que a medida seja tecnicamente viável.

Perguntados sobre a abertura de bares e restaurantes, segundo o decreto do governo do estado, sem que a prefeitura tenha deliberado, Crivella disse que as atividades serão o fiscalizadas e orientadas a fecharem as portas. Mas multas não serão aplicadas.

— A prefeitura vai notificar. O decreto do governador criou uma certa insegurança jurídica. As pessoas podem se confundir e achar que o que é uma recomendação seria uma determinação. Pedimos para que nao abram o comércio e aguardem a reunião. E se forem notificados, por favor, fechem as portas — justifica o prefeito.

Fonte: O Globo

Secretarias de Saúde se indignam com proposta de recontagem de mortos: “desumana e anti-ética”

Autoridades sanitárias regionais acusaram neste sábado (6) o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de “invisibilizar” os mortos por Covid-19, depois que um secretário designado pelo Ministério da Saúde questionou a contagem de óbitos na pandemia do novo coronavírus.

“A tentativa autoritária, insensível, desumana e anti-ética de dar invisibilidade aos mortos pela Covid-19 não prosperará”, manifestou-se, em nota, o Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass), que reúne os secretários regionais de saúde.

Na sexta, Carlos Wizard, nomeado para assumir a secretaria da Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, disse ao jornal O Globo que a contagem de mortos na pandemia seria revisto, pois os dados atuais seriam “fantasiosos ou manipulados”.

O Brasil é o segundo país do mundo com mais casos e o terceiro com mais mortes pela COVID-19, totalizando, respectivamente 645.771 e 35.026.

“Sua declaração grosseira, falaciosa, desprovida de qualquer senso ético, de humanidade e de respeito, merece nosso profundo desprezo, repúdio e asco”, diz a nota da Conass.

Em entrevista à AFP no sábado, Wizard disse que os números não serão revistos. “Nós não estamos interessados em desenterrar os mortos, nós não queremos rever o passado, estamos mais preocupados com o presente e o futuro”, disse.

Fonte: Yahoo