Plantão Covif-19: Lista dos serviços essenciais conforme Decreto Presidencial

Preocupação com desaceleração global derruba bolsas de valores pelo mundo

A preocupação com uma desaceleração da economia global derrubou as principais bolsas do mundo nesta quarta-feira (14). A tensão no mercado teve como pano de fundo fracos indicadores de atividade da Alemanha e da China.

Os investidores também mantiveram no radar a guerra comercial entre os governos chinês e norte-americano. A disputa entre os dois países também tem potencial para prejudicar o crescimento da economia global.

No Brasil, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, recuou 2,94%, a 100.258 pontos, e a moeda norte-americana subiu 1,76%, a R$ 4,0386, no maior valor desde o final de maio.

Na Alemanha, a agência federal de estatísticas Destatis divulgou que o economia do país registrou contração no segundo trimestre, com uma queda de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB). Na China, a produção industrial desacelerou para uma mínima de mais de 17 anos.

A preocupação com uma piora da economia também ficou evidente no mercado de títulos norte-americano. Os rendimentos do Tesouro de dois anos subiram acima dos referentes aos títulos de 10 anos pela primeira vez desde 2007, apontando para o risco de recessão.

A curva de rendimentos dos EUA se inverteu antes de cada recessão nos últimos 50 anos.

“O mercado já torceu o nariz de novo, acordando o fantasma da recessão começando nos EUA, China e se alastrando pelo mundo. E o mercado correu para a proteção novamente”, disse à Reuters o superintendente da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva.

Fonte: G1

Maia diz que emenda que poderia prejudicar Eduardo Bolsonaro não será votada nos próximos dias

O presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-SP) deu uma boa notícia ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Nesta quarta-feira, Maia garantiu que não há “nenhuma chance” do projeto de lei nº 198 de 2019, que trata do nepotismo, ser pautado em plenário antes da sabatina do filho do presidente para o cargo de embaixador do Brasil nos EUA.

“Não existe projeto aqui que tenha nome e seja contra alguma pessoa. Se o projeto do nepotismo passar, ele não será misturado nem acelerado porque o presidente (Jair Bolsonaro) vai encaminhar o nome do filho a uma indicação de embaixada. Essa será uma decisão do Senado. O deputado será sabatinado e aprovado ou rejeitado pelo plenário”, afirmou Rodrigo Maia.

As declarações de Maia vem logo após a Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara aprovar, na manhã de ontem, proposta que proíbe nepotismo na administração pública federal.

Maia ainda defendeu que um projeto não pode ser acelerado para limitar o direito de um parlamentar. “A gente viu o ambiente de muita crítica a medida provisória em relação à publicação de balanços nos jornais porque ela tinha um objetivo de prejudicar os jornais. Isso foi dito pelo próprio presidente. Também não posso aprovar uma lei que tenha o objetivo exclusivo de prejudicar o deputado Eduardo Bolsonaro”, disse Maia ao relembrar declarações dadas na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Fonte: Yahoo

‘Bandidos de esquerda começaram a voltar ao poder’, diz Bolsonaro sobre Argentina

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quarta-feira (14) em Parnaíba (335 km de Teresina) que “bandidos de esquerda” estão voltando ao poder na Argentina. “Olha o que está acontecendo com a Argentina agora. A Argentina está mergulhando no caos. A Argentina começa a trilhar o rumo da Venezuela, porque, nas primárias, bandidos de esquerda começaram a voltar ao poder”, afirmou.

A declaração fez referência à vitória da chapa formada por Alberto Fernández e Cristina Kirchner nas eleições primárias na Argentina, por 47% contra 32% do presidente Maurício Macri, que é aliado de Bolsonaro. A referência à Argentina foi feita logo após o presidente afirmar que vai trabalhar para “varrer a turma vermelha” do Brasil e derrotar “a corrupção e o comunismo” nas eleições de 2022.

Mesmo com as críticas à política argentina, Bolsonaro fez questão de destacar em discurso o acordo entre o Mercosul e a União Europeia. A queda de barreiras para a fruticultura, afirmou, vai beneficiar o perímetro irrigado dos Tabuleiros Litorâneos, que produz frutas na região do delta do rio Paranaíba, no Piauí.

“Agora não terá mais barreira para [a Europa] importar as frutas produzidas no Brasil. A fruticultura aqui de Parnaíba, no Piauí, será pujante.”

Bolsonaro desembarcou no aeroporto de Paranaíba às 10h, de onde saiu para um sobrevoo na região dos Tabuleiros Litorâneos. No retorno, discursou de uma sacada do aeroporto para um público de apoiadores. Vestidos de verde e amarelo e com camisas com a imagem do rosto do presidente, os militantes gritavam “fora PT” e “a nossa bandeira jamais será vermelha”.

Na sequência, Bolsonaro seguiu para o centro da cidade para inaugurar uma escola do Sesc que se chamará Escola Presidente Jair Messias Bolsonaro. Nos dois atos, o mandatário foi acompanhado por um antigo aliado: o ex-governador do Piauí (1994-2001) e atual prefeito de Parnaíba Francisco de Moraes Souza (SD), o Mão Santa.

Conhecido pelo estilo folclórico e por bordões como “atentai bem”, Mão Santa foi governador do Piauí entre 1995 e novembro de 2001, quando foi cassado por abuso de poder econômico durante as eleições.

Fonte: Folhapress

Câmara conclui votação e aprova MP da liberdade econômica; texto segue agora para o Senado

A Câmara dos Deputados concluiu nesta quarta-feira (14) a votação da medida provisória conhecida como MP da liberdade econômica. A proposta, aprovada em julho na comissão mista de deputados e senadores, altera leis como o Código Civil e a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Os deputados analisaram na sessão desta quarta os destaques (sugestões de mudança no texto). Todos foram derrubados e o texto foi mantido da forma como foi aprovado nesta terça (13).

A proposta, com 20 artigos, promove alterações em regras de direito civil, administrativo, empresarial e trabalhista, entre outros.

O texto também traz medidas que impactam os negócios privados, de empresas e comércios. O objetivo é reduzir a burocracia e trazer mais segurança jurídica para as atividades econômicas.

Entre outros pontos, a proposta define regras para trabalho aos domingos, estabelece que a carteira de trabalho será emitida “preferencialmente” em meio eletrônico, e prevê os critérios para a adoção do registro de ponto de funcionários.

Fonte: G1