Vida FM Salgueiro FM

Top 10: Notícias mais acessadas de 04/03/2019 a 08/03/2019

1 – Secretária de Educação de Salgueiro morre em Recife vítima de câncer

2 – Prefeitura de Cedro-PE divulga nota de pesar pelo falecimento de jovem de 20 anos vítima de acidente de carro

3 – Diretor regional da Compesa recebe manifestantes e tenta explicar falta de água em Salgueiro

4 – Polícia Militar abre inquérito para investigar denúncia de agressão de policias do GATI a estudante em Salgueiro

5 – IMIP e UPAE de Salgueiro abrem inscrições para seleção de níveis superior, médio, técnico e elementar

6 – Luan Estilizado recebeu cachê de R$ 45 mil para tocar menos de uma hora em Salgueiro

7 – Homem com extensa ficha criminal é detido após tentar agredir policiais com garrafa de vidro no Carnaval de Salgueiro

8 – Aulas da rede municipal são suspensas por causa da morte de secretária de Educação

9 – Chuva inibe presença de foliões no quarto dia de Carnaval em Salgueiro

10 – Mulher é acusada de deixar três crianças sozinhas em casa para curtir Carnaval em Salgueiro

Policiais que levaram crianças amarradas à delegacia são afastados no MA

Os policiais que conduziram duas crianças, uma de 9 e outra de 10 anos, amarradas em uma corda e levadas de camburão para uma delegacia na sexta-feira (8) em Caxias, a 275 km de São Luís, foram afastados de suas funções por determinação do Comando Geral da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA).

O conselheiro tutelar, Anderson Feitosa, disse que o Conselho Tutelar já apurou que os meninos não estavam roubando nada. Ele acrescentou que eles apenas entraram em uma residência, que já havia sido arrombada, por curiosidade. “Criança é curiosa e aí eles foram entrar na casa para curiar e quando eles foram sair e uma pessoa já viu eles saindo e já empurrou eles para dentro e foi que começou toda essa história de dizer que as crianças estavam roubando”.

A família dos meninos está bastante abalada com a exposição que tiveram diante de populares. A mãe de uma das crianças, que prefere não se identificar, revelou que entrou em desespero quando soube que o filho havia sido amarrado. “É uma sensação muito ruim. Eu entrei em desespero na hora”.

O presidente da secção da Ordem dos Advogados (OAB) de Caxias, Agostinho Neto, afirmou que vai entrar com uma representação junto ao Ministério Público e classificou o caso como absurdo. “Eles foram conduzidos como criminosos na parte detrás do camburão que é uma reprovação sem tamanho”.

Fonte: G1

MEC faz expurgo de seguidores de Olavo de carvalho

A repercussão negativa do episódio da carta sobre o Hino Nacional enviada a escolas pelo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, fez com que nomes ligados a Olavo de Carvalho fossem afastados da pasta. O objetivo, segundo fontes ouvidas pelo Estado, é “reorganizar a casa” e tirar o foco da questão ideológica. Olavo reagiu às mudanças e pediu, pelas redes sociais, que seus alunos deixassem o governo.

A medida foi decidida durante o Carnaval, depois que Vélez foi aconselhado por outros grupos que fazem parte do Ministério da Educação (MEC). O entendimento era de que o ministro, também indicado por Olavo, estava enfraquecido depois das polêmicas recentes. Entre os que defenderam as mudanças estão ex-integrantes das Faculdades de Tecnologia de São Paulo (Fatecs) e do Instituto de Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Considerado o “guru intelectual” de Jair Bolsonaro, Olavo de Carvalho passou a orientar na madrugada de sexta-feira que seus alunos saíssem do governo. No Facebook, afirmou que a equipe de Bolsonaro está cheia de “inimigos” do próprio presidente e do povo. Segundo ele, “andar em companhia desses pústulas só é bom para quem seja como eles”. “Não quero ver meus alunos tendo suas vidas destruídas no esforço vão de ajudar militares acovardados cujo maior sonho é tucanizar o governo para agradar à mídia.”

Olavo também vem criticando o vice-presidente, general Hamilton Mourão. “O maior erro de minha vida de eleitor foi apoiar o general Mourão”, escreveu na quarta. “Não cessarei de pedir desculpas por essa burrada.” Na quinta-feira, quando questionado sobre as críticas, Mourão respondeu com um gesto de um beijo, feito com a mão.

O MEC não quis comentar os casos e informou apenas que as mudanças são uma decisão interna de remanejamento.

Fonte: Estadão Conteúdo

Bolsonaro recebe Rodrigo Maia no Palácio da Alvorada

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encontrou-se na manhã deste sábado (9) com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio da Alvorada.

Maia, que deixou o palácio sem falar com a imprensa, tem tratado da tramitação da reforma da Previdência, que se inicia pela Câmara dos Deputados.

Na sexta-feira (8), ele anunciou para a próxima quarta-feira (13) a instalação de 12 comissões permanentes da Casa, inclusive a de CCJ (Constituição e Justiça e de Cidadania).

A instalação da CCJ é importante porque a análise da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 6/2019 – enviada pelo governo ao Congresso – começa nesta comissão. A proposta foi enviada no dia 20 de fevereiro.

Cabe à CCJ, no prazo mínimo de cinco sessões do plenário, manifestar-se sobre a constitucionalidade da PEC. Depois disso, a proposta poderá ser analisada por uma comissão especial e, em seguida, votada em dois turnos pelo plenário.

Fonte: R7

Maduro atribui apagão na Venezuela à ataque hacker dos Estados Unidos

Em seu primeiro pronunciamento desde o início do apagão que começou na quinta-feira (7) na Venezuela, Nicolás Maduro atribuiu a um ataque hacker o blecaute. “Foi utilizada uma tecnologia de alto nível que só os Estados Unidos possuem”, disse. Oposição e imprensa atribuem a queda de energia ao sucateamento da rede de energia elétrica do país.

Durante manifestação pró-governo em Caracas, Maduro disse que foi informado na tarde de quinta (7) sobre uma falha geral do sistema elétrico. Segundo ele, um ataque cibernético impediu a restituição da energia elétrica.

“Às 19h do mesmo dia se encaminhava o processo de recuperação quando recebemos um ataque cibernético internacional contra o cérebro de nossa empresa de eletricidade que automaticamente derrubou todo o processo de reconexão”, disse Nicolás Maduro.

No ato, Maduro disse ainda que há infiltrados na empresa elétrica e que os envolvidos serão identificados e julgados pela Justiça nacional. “A empresa de energia deve ser liberada de sabotadores, infiltrados e conspiradores para proteger seu sistema de ataques cibernéticos do exterior”, disse.

No Twitter, o presidente venezuelano já havia responsabilizado os Estados Unidos pela “guerra elétrica” que estaria por trás do blecaute. “A guerra elétrica anunciada e dirigida pelo imperialismo estadounidense contra o nosso povo será derrotada”, afirmou em post feito no primeiro dia sem luz.

O apagão afeta, além de Caracas, 22 dos 23 estados do país, motivo pelo qual o presidente pediu paciência. “Espero que o processo de restabelecimento seja definitivo e estável para a maioria dos venezuelanos nas próximas horas. Peço compreensão”, disse Maduro durante o ato pró-governo.

Fonte: G1