Vida FM Salgueiro FM

Mais visto

Contagem Regressiva 28

Faltando 28 dias para a eleição, como candidato a deputado estadual, apresentamos ao povo Pernambucano nossos compromissos de exercer o mandato como fizemos quando fomos eleitos todas as vezes – 5 mandatos de Vereador em Salgueiro:

Ponto de Vista: Lucros e desempregados

Transposição, planejada inicialmente para levar água a 12 milhões de pessoas, com investimento até agora da ordem de 10,7 bilhões de reais, ainda não foi concluído o eixo norte que sai de Cabrobó em Pernambuco com destino ao Ceará e Rio Grande do Norte. Enquanto isso, o eixo leste, de Floresta à divisa de Pernambuco com a Paraíba, apesar de concluído, já abastecendo até Campina Grande, faltam as obras complementares e principais, como o abastecimento de água à população a partir das localidades mais próximas dos canais, onde as pessoas ficam assistindo a passagem da água sem ter acesso à mesma. Vamos agir para resolver este problema. […]

Jornalista Graça Araújo morre aos 62 anos no Recife

Morreu, neste sábado (8), aos 62 anos, a jornalista pernambucana Graça Araújo. A apresentadora sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico na quinta-feira (6) e, neste sábado, teve falência múltipla nos órgãos. A informação foi confirmada pelo Hospital Esperança, unidade de saúde em que ela estava internada. 

A morte ocorreu às 12h55, de acordo com a direção médica do hospital. O velório acontece no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife, onde o corpo chegou por volta das 18h40. A cremação acontece às 16h deste domingo (9).

Segundo a neurologista Silvia Laurentino, Graça estava em coma profundo e estava sendo monitorada para uma possível doação de órgãos, desejo sinalizado pela família. “Estávamos monitorando para entrar em contato com a central de transplantes e estava tudo ok”, relata.

No entanto, o funcionamento irregular dos órgãos foi notado pela equipe do hospital. “O coração começou a bater muito fraquinho e a pressão caiu subitamente. Nessas condições não houve tempo de fazer o contato para todo preparo para doação [de órgãos]”, disse a médica.

Internação

Graça Araújo fazia exercícios físicos em uma academia na Zona Sul do Recife, na noite da quinta (6), quando passou mal e foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Na noite em que foi internada, o estado de saúde dela era considerado grave pelos médicos. Na quinta, o hospital informou que o quadro clínico da paciente passou para gravíssimo.

Neste sábado (8), o hospital informou, pouco depois das 11h, que o quadro clínico da paciente se mantinha inalterado e ela continuava respirando com a ajuda de aparelhos.

Fonte: G1 PE

Marina diz que não solicitará reforço na segurança após atentado contra Bolsonaro

A candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, disse neste sábado (8) que não pediu reforço de segurança à Polícia Federal (PF) após o atentado contra o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro. Líder nas pesquisas eleitorais, Bolsonaro levou uma facada na última quinta (6) em um ato de campanha em Juiz de Fora, na zona da mata de Minas de Gerais.

Em sua primeira agenda de campanha após o ataque contra o candidato do PSL, Marina afirmou que o atentado foi um “inaceitável ato de violência”.

“Não pedi reforço. Nós vamos continuar fazendo a nossa campanha, defendendo propostas, dialogando com a população, reafirmando os compromissos que temos desde 2014 de fazer uma campanha sem violência, sem mentiras, sem desconstrução”, informou Marina a jornalistas ao ser questionada sobre se havia pedido reforço de segurança à PF.

A presidenciável da Rede fez uma caminhada com apoiadores de sua campanha na tarde deste sábado pela Rua 25 de Março, no centro de São Paulo, um dos principais pontos de comércio popular da capital paulista. A candidata também entrou no Mercado Municipal, onde conversou e cumprimentou vendedores de frutas.

“Nós, eu e Eduardo Jorge, temos pautado a nossa campanha por uma campanha de luta e de paz. E nós queremos contribuir, cada vez mais, para que brasileiros e brasileiras se unam a favor do Brasil”, complementou Marina.

“O que vai nos defender contra a violência não é uma arma na nossa mão. O que vai nos proteger contra a violência é amor e respeito dentro do nosso coração”, enfatizou.

Terceira colocada nas duas últimas eleições presidenciais, Marina Silva disse neste sábado que, na visão dela, a disputa pelo Palácio do Planalto, em 2014, foi marcada pela “violência política”. Neste ano, ressaltou a ex-senadora, a marca é a “violência física”.

Ela usou como exemplos da violência física na política brasileira em 2018, além do ataque contra Bolsonaro, o episódio do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes e o atentado a tiro contra a caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Paraná.

“Eu fico pensando: se Deus o livre aquela pessoa tivesse uma arma de fogo na mão, o que poderia ter acontecido?”, ponderou a candidata da Rede em referência ao agressor de Bolsonaro, Adélio Bispo de Oliveira, 40 anos, que usou uma faca para atacar o presidenciável do PSL em Juiz de Fora.

Fonte: G1

Defesa de Lula pede que Fachin reconsidere decisão e tenta garantir candidatura

Os advogados de Lula querem que o ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF, reconsidere decisão da última quinta-feira, 6, quando o ministro negou o pedido para afastar qualquer impedimento à candidatura do petista à Presidência da República. Caso Fachin não reforme a decisão anterior, a defesa de Lula pede que o recurso seja apreciado pela Segunda Turma do STF.

Com base no comunicado do comitê da ONU, a defesa de Lula pretendia afastar os efeitos da condenação do ex-presidente no caso do triplex do Guarujá (SP), no qual o petista foi condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Por conta dessa condenação, Lula foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

De acordo com os advogados Cristiano Zanin e Valeska Zanin, “não cabe aos órgãos judiciários brasileiros sindicar as decisões proferidas pelo Comitê de Direitos Humanos da ONU, mas, sim, dar cumprimento às obrigações internacionais assumidas pelo Brasil”.

Fachin, no entanto, entendeu que o pronunciamento do Comitê de Direitos Humanos da ONU não alcançou o efeito de suspender a decisão do TRF-4 que condenou Lula. Para o ministro, a posição do comitê a favor da candidatura de Lula não afetaria a seara criminal, restringindo-se à seara eleitoral.

No TSE, tribunal onde também atua, Fachin votou a favor do registro do Lula, por avaliar que o pronunciamento do comitê afastava a inelegibilidade de Lula, ou seja, impactaria a situação eleitoral do ex-presidente.

O comunicado do comitê, emitido no dia 17 de agosto, solicitou que o Brasil “tome todas as medidas necessárias para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva possa desfrutar e exercer seus direitos políticos, enquanto esteja na prisão, como candidato para as eleições presidenciais”.

Fonte: Estadão Conteúdo

Novo boletim diz que Bolsonaro caminhou e não há sinais de infecção

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) caminhou durante cinco minutos acompanhado de um fisioterapeuta, neste sábado, 8, segundo boletim médico distribuído no fim da tarde pelo hospital Albert Einstein.

De acordo com os médicos, o tempo das caminhadas será aumentado gradualmente, conforme a recuperação de Bolsonaro. O objetivo do exercício é reduzir riscos de trombose, problemas pulmonares e recuperar o funcionamento do intestino. Além da caminhada, Bolsonaro foi levado do leito para uma poltrona na qual passou meia hora. Segundo os médicos, não há sinais de infecção.

Em boletim anterior divulgado no início da tarde, o hospital informou que o estado de saúde do candidato é estável e ele se recupera da cirurgia realizada em função do atentado a faca que sofreu em Juiz de Fora (MG).

Transferência

Bolsonaro chegou ao hospital Albert Einstein, em São Paulo, às 10h40 de sexta-feira (7). Ele foi recebido pela equipe médica sob gritos de apoiadores, após viagem de avião e ambulância desde Juiz de Fora (MG), onde foi esfaqueado nessa quinta (6).

De acordo com a assessoria do hospital paulistano, Bolsonaro chegou na mesma situação que estava: em estado grave, mas estável.

Fonte: Gazeta do Povo

Advogados sustentam que agressor agiu sozinho e refutam conspiração

Advogados de defesa de Adelio Bispo de Oliveira dizem que ele agiu sozinho e de rompante quando decidiu esfaquear o deputado federal e candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). A ideia surgiu três dias antes, quando o criminoso arquitetou a tentativa de assassinato, movido contra o discurso de Bolsonaro referente a negros quilombolas.

A defesa refuta a ideia de uma teoria conspiratória, segundo a qual haveria outras pessoas envolvidas, possivelmente um mentor intelectual.

Na noite de sexta-feira (7), o agressor foi ouvido novamente pela Polícia Federal (PF), que deseja esclarecer exatamente este ponto, para se certificar se o crime foi apenas fruto de uma mente atormentada e possivelmente desequilibrada, como sustenta a defesa, ou se foi parte de um esquema maior, de tentativa de eliminação de Bolsonaro.

Para resguardar a integridade física do agressor, ele foi transferido, na manhã desse sábado (8), para o presídio federal de segurança máxima de Campo Grande (MS).

“A polícia queria saber em especial sobre a participação de terceiras pessoas, se o plano foi engendrado, se havia outros envolvidos, interessados, se foi financiado ou não. Eu acredito que ele esclareceu que veio sozinho. Ele veio para praticar o ato, queria praticar o ato, mas sozinho”, sustentou o advogado Fernando Magalhães, que acompanhou o depoimento de Adélio, durante uma hora e meia, à PF.

Sobre o fato de o criminoso ter morado em vários endereços nos últimos meses, Magalhães disse que era um hábito. “É um cigano. Me parece que ele vai procurando oportunidades. Aqui ele aportou por acaso, como ele externou. Disse que o ódio nasceu três dias atrás, quando ouviu uma mensagem do presidenciável Jair Bolsonaro sobre a questão dos negros, dos quilombolas, indígenas, e aquilo foi crescendo, no íntimo dele, e ele não conseguiu segurar. Aquilo startou nele um sentimento de ‘extremismo se trata com extremismo’. Saiu de casa para ceifar a vida de Jair Bolsonaro”, relatou Magalhães.

O advogado disse que Adélio estava há dias em Juiz de Fora, em busca de oportunidade de trabalho. “Ele reportou que seria uma busca de oportunidades [de trabalho] e que há alguns dias ele soube que Bolsonaro estaria aqui. Mas ele é errante. Cada dia está em um lugar, cada dia procurando um emprego, cada hora exercendo uma profissão, de garçom ou qualquer coisa assim”, disse Magalhães.

Fonte: Agência Brasil