Vida FM Salgueiro FM

Obras de requalificação do Bodódromo de Petrolina começam esta semana

O Bodódromo de Petrolina, construído em 2000, passará por obras de requalificação a partir desta semana. A restauração foi anunciada pelo prefeito Miguel Coelho no último fim de semana, durante encontro com empresários que atuam no local. O governo municipal investirá R$ 840 mil na primeira etapa do serviço.

Nessa primeira fase, o centro gastronômico dedicado à carne de bode receberá a reforma das calçadas, que passarão a ter piso intertravado com rampas para cadeirantes e outros equipamentos de acessibilidade.

O cronograma da obra também prevê ampliação do estacionamento para quase mil vagas destinadas a mototáxis, táxis, ônibus de turismo e o público em geral. Ainda estão no projeto, a sinalização e o plantio de árvores.

Na segunda etapa, orçada em R$ 1,3 milhão, o Bodódromo será incrementado com a criação de novas estruturas como espaço cultural e um pátio para feiras.

Da redação do Blog Alvinho Patriota

Secretaria de Assistência Social de Ouricuri recebe veículo adquirido com recursos do Governo Federal

A Secretaria de Assistência Social de Ouricuri recebeu nessa segunda-feira, 4, um veículo 0km da marca Volkswagen, modelo Saveiro, adquirido por meio de recursos do Índice de Gestão Descentralizada Municipal do Ministério do Desenvolvimento Social (IGD-M/MDS). O carro deve ser usado para propiciar mais agilidade aos serviços prestados pelo programa Bolsa Família.

Ao receber as chaves do veículo, a secretária de Assistência Social, Karol Barros, destacou a importância do automóvel para o atendimento às famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) para programas sociais, principalmente o Bolsa Família. Ela ainda agradeceu ao prefeito, Ricardo Ramos, pelo empenho para melhorar o setor de assistência.

Realizada no Centro Administrativo de Ouricuri, a solenidade contou com a participação de vários servidores da secretaria, que comemoraram com Karol a aquisição.

Da redação do Blog Alvinho Patriota

Alunos da PUC-Rio jogam bananas em estudantes negros e imitam macacos em Jogos Jurídicos

“Olha o meu rosto, você acha mesmo que eu vou ser presa?”. Essa frase teria sido dita por uma aluna de direito da PUC-Rio ao ser confrontada junto a outros colegas por estudantes da UERJ que apontaram atitudes racistas durante uma partida dos Jogos Jurídicos, evento que reuniu diversas universidades cariocas para competições esportivas, de 31 de maio a 3 de junho. De acordo com um dos estudantes que presenciou a cena, alunos da PUC-Rio saíram do ginásio em que acontecia um dos jogos e imitaram macacos para provocar alunos de direito da UERJ. Em outra situação, um estudante jogou cascas de banana contra um atleta negro da Universidade Católica de Petrópolis (UCP).  Um terceiro caso, em que uma jogadora da Universidade Federal Fluminense (UFF) foi chamada de “macaca” durante a partida final de handebol feminino, também foi relatado. “Diante do racismo, evidentemente os alunos da UERJ ficaram revoltados. Nisso, uma menina da PUC-Rio vira para a gente e diz: ‘Olha o meu rosto, você acha mesmo que eu vou ser presa?’”, afirmou o aluno. “Muito triste e revoltante o que está acontecendo”, relatou outro aluno no Twitter. 

“Os jogos jurídicos universitários nunca foram um espaço confortável para pessoas negras”, afirmou em nota a campanha Jogos sem Racismo, que desde 2017 luta contra episódios como este no evento. De acordo com o texto, na madrugada desse domingo (3), eles informaram a reunião oficial da Liga Jurídica Estadual, responsável por organizar os Jogos Jurídicos, para “manifestar novamente nossa indignação com os violentos crimes de racismo ocorridos durante o evento”. A nota diz, também, que no sábado (2) eles já haviam comparecido à reunião e pediram uma posição da organização sobre os eventos de racismo que vinham acontecendo. “Diante de um crime, a Liga havia punido a Atlética da PUC-Rio apenas com o compromisso de elaboração de uma breve nota, o pagamento de uma multa irrisória de R$ 500 e a suspensão da torcida em um jogo sem expressividade alguma”, explica a nota.

Depois disso, a organização dos Jogos Jurídicos decretou que, como punição para os casos de racismo, não haverá faculdade vencedora neste ano. A aluna do quinto período de direito da UERJ, Mariana Carlou, que faz parte da campanha Jogos Sem Racismo, afirma que situações assim são comuns no evento. “O racismo sempre aconteceu nos jogos. No ano passado, vimos uma real necessidade de criar a campanha para lutar contra esses episódios”, explica. De acordo com ela, o alcance das denúncias nas redes sociais foi uma surpresa. “Lutamos contra isso há tempos e não vemos muitos resultados positivos. Esses jogos, apesar de tudo, vieram com uma surpresa boa: a PUC-Rio realmente foi punida. Muitas vezes isso passa batido”, afirma. “Realmente espero que a PUC ajude a gente a identificar essas pessoas para que as pessoas que foram vítimas desses atos tenham a oportunidade de processá-las por injúria racial”, aponta. 

Fonte: Estado de Minas

Juiza impõe multa de R$ 200 mil e põe Doria no banco dos réus por ‘Acelera SP’

A juíza Cynthia Tomé, da 6ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, impôs multa de R$ 200 mil e abriu nova ação de improbidade contra o ex-prefeito João Doria (PSDB), por suposta promoção pessoal com o uso da expressão Acelera SP. Para a magistrada, o tucano descumpriu liminar que determinava penalidade de R$ 50 mil caso voltasse a usar o slogan. A decisão é do dia 23 de maio. Esta é a segunda ação civil pública aberta contra Doria.

A ação foi ajuizada em março pelo promotor Nelson Luís Sampaio de Andrade, do Patrimônio Público e Social. Para ele, Doria se vale de slogans e da identidade visual de seus programas políticos e vincula a eles sua imagem pessoal.

“O slogan tornou-se intimamente ligado à imagem de João Doria e foi recorrente o seu uso em atos e eventos oficiais da Prefeitura de São Paulo, mesmo após o término da campanha eleitoral”, afirma o promotor.

O slogan Acelera SP começou a ser utilizado pelo tucano quando ainda era candidato, em 2016, e chegou a batizar sua coligação nas eleições.

Em março, a juíza proibiu liminarmente o prefeito de usar o slogan, em decisão na qual também impôs multa de R$ 50 mil para cada ato de descumprimento.

Doria argumenta que “nunca vinculou a expressão ‘Acelera SP’ e seu símbolo em atos de publicidade governamental”. O ex-prefeito ainda alegou à Justiça que o uso do slogan tem sido feito “exclusivamente na esfera privada”.

No dia 23 de maio, a magistrada considerou que “restaram demonstrados os indícios que apontam que o ex-prefeito divulga programas da Prefeitura do Município de São Paulo e vincula sua imagem em todos eles não como Prefeito, mas como João Doria, político, sem qualquer menção aos símbolos oficiais do Município de São Paulo”.

Além da multa de R$ 200 mil, a magistrada dobrou o valor da sanção diária por descumprimento da decisão.

“Considerando que o valor da multa imposta não foi suficiente para impedir a conduta, aumento o valor da multa diária para R$ 100 mil”.

Fonte: Jornal do Brasil

Justiça exclui Antônia Fontenelle da herança de Marcos Paulo

A ministra Maria Isabel Galloti, do Superior Tribunal de Justiça, acaba de negou nessa segunda-feira o agravo em que Antônia Fontenelle pedia reconhecimento como herdeira do diretor da TV Globo Marcos Paulo (1951-2012).

A ministra entendeu que o documento apresentado por Antônia — uma carta escrita pelo próprio Marcos Paulo em que ele deixa 60% do saldo de suas contas bancárias e investimentos para ela — não é válido legalmente.

Isso porque o documento não foi registrado em cartório com as três testemunhas exigidas pelo Código Civil. 

Antônia trava uma batalha judicial pelo patrimônio de Marcos Paulo com as três filhas do diretor: Wanessa (com Tina Serina), Mariana (com Renata Sorrah) e Giulia (com Flávia Alessandra).

O patrimônio do diretor é estimado em ao menos 50 milhões de reais.

Fonte: Blog Radar

Pelo menos 20 cidades mineiras são atacadas por criminosos nas últimas 24 horas

Depois de série de ataques a ônibus em Uberaba e Uberlândia, as duas maiores cidades do Triângulo Mineiro, ainda no fim da tarde e início da noite de domingo, a madrugada desta segunda-feira foi marcada por incêndios criminosos em pelo menos outras 20 cidades, sendo 11 no Sul de Minas, Belo Horizonte e Santa Luzia, na Grande BH, e Araxá, no Alto Paranaíba. No Sul do estado, a Polícia Militar registrou ocorrências em Brasópolis, Varginha, Alfenas, Guaxupé, Pouso Alegre, Itajubá, Ouro Fino, Passos, Poços de Caldas, Três Corações e Monte Santo de Minas. Conceição das Alagoas e Campo Florido, também no Triângulo, e Lagoa da Prata, no Centro-Oeste mineiro, complementam o mapa da violência.

Em Cruzília, também no Sul de Minas Gerais, houve ataque, mas não aconteceu incêndio. Bandidos dispararam 12 tiros contra a fachada da Delegacia de Polícia Civil da cidade. O mesmo aconteceu em Campo Florido, onde a Câmara Municipal teve sua recepção destruída. Em Passos, além do ataque a um coletivo, também houve disparos: dez tiros contra um ponto de registro de ocorrência da PM na cidade. 

Ainda em Passos, criminosos atearam fogo à Câmara Municipal na madrugada de ontem. De acordo com a Polícia Militar, o vigilante do prédio contou que sentiu cheiro de fumaça por volta da 1h30 e encontrou o plenário da Casa em chamas. Ele conseguiu apagar o fogo com água e apenas alguns móveis foram danificados. Os responsáveis pelo incêndio usaram uma pedra para quebrar a vidraça da Câmara e atear fogo. A perícia da Polícia Civil recolheu uma garrafa pet com resquícios de combustível. Ainda segundo a PM, o responsável pelas câmeras de segurança disse que um problema técnico no equipamento impediu que o fato fosse gravado. 

No incêndio registrado em Itajubá, no Sul de Minas, o boletim de ocorrência registrado pela PM traz a informação de um bilhete deixado com o motorista. Na anotação, bandidos reclamam de opressão no presídio da cidade e também reclamam de problemas no presídio federal de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte. Segundo a PM, a carta é assinada por uma facção criminosa paulista com atuação nacional. 

A Polícia Militar admite a possibilidade de ataques orquestrados por ordem de facções criminosas, porém, a corporação também aponta a probabilidade de atuação dos chamados “espelhadores”. Segundo a PM, são pessoas que ao verem a situação de ataques ocorrendo em diferentes lugares do estado, também passam a cometer crimes semelhantes. 

De acordo com o major Flávio Santiago, assessor de imprensa da PM, 30 pessoas foram conduzidas pelos crimes em todo o estado, sendo que oito já haviam tido a prisão em flagrante confirmada até 12h. Somando com o ataque em Cruzília, em que não houve registro de ônibus ou carros incendiados, 20 cidades foram alvo de bandidos e 29 coletivos foram vandalizados.   

Fonte: Estado de Minas

Enel compra 70% da Eletropaulo por R$ 5,5 bilhões e vira líder em distribuição de energia no Brasil

A italiana Enel se tornou líder em distribuição de energia no Brasil ao fechar a compra de 73% da Eletropaulo por R$ 5,552 bilhões. Ao todo, foram negociadas 122,7 milhões de ações em oferta pública realizada nesta segunda-feira (4) em leilão realizado na bolsa de valores (B3). O preço por ação, de R$ 45,22, foi definido na quarta-feira (30).

A Eletropaulo tem 167,3 milhões de ações em circulação. Se todos os acionistas tivessem optado por vender seus papéis à companhia italiana, o custo da operação seria de R$ 7,56 bilhões.

Com a transação, a Enel ainda se comprometeu a fazer um aumento de capital na distribuidora paulista de pelo menos R$ 1,5 bilhão.

Para assumir o controle da Eletropaulo, a companhia italiana ofereceu um valor por ação maior do que o proposto pela Neoenergia (R$ 39,53).

Fonte: G1